terça-feira, 12 de agosto de 2014

10 dicas para ser um bom jornalista


Tenha paixão pela profissão: ok, amor não enche barriga, já disse mil vezes seu pai, mas paixão é envolvimento, é o que nos impede de desistir nos primeiros, sei lá, 200 obstáculos.

Resgate a essência do jornalismo: curiosidade, investigação, responsabilidade na apuração e na divulgação das informações, essas coisas que há tempos resolveram sair de moda.

Sinta orgulho de ser jornalista: cague geral para os rankings desgracentos que têm os jornalistas sempre no topo. Se você não tem orgulho do que faz, melhor pedir para sair.

Use os recursos tecnológicos para o bem: tecnologia é como colesterol, tem a boa e tem a ruim. A ruim nos deixa preguiçosos, a boa nos permite voar cada vez mais alto.

Não espere respostas prontas sobre seu futuro: sim, jornalistas são os caras que fazem as perguntas, mas no quesito “seu próprio futuro” o que cabe a você são as respostas.

Seduza seu leitor: deixe-o apaixonado por seu texto, com vontade de novos encontros. Nada como a arte da conquista à moda antiga.

Busque sempre: histórias incríveis, personagens invisíveis, momentos risíveis. E jamais bote no seu texto uma rima tosca como essa que eu acabei de botar.

Arrisque uma linguagem diferente: esqueça os leads, as regras, os dogmas. Pegue a velha receitinha de jornalismo sempre fácil de fazer e jogue no lixo. Não reciclável, claro.

Não agonize junto com as mídias tradicionais: há vida jornalística após a morte do jornal impresso. Tá me ouvindo? Enxugue essas lágrimas já. Tem um mundo novo bem aqui.

É bom levar uma vida saudável, mas um porre vez ou outra é ótimo: a alma jornalística carece de purificação. Mas se beber não dirija, nem agende uma entrevista importante.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.


Curta a página do blog no Facebook aqui.

Nenhum comentário: