sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Clark Kent e os superpoderes do jornalista



Ao chegar atrasado à redação do Planeta Diário no primeiro dia de trabalho, Clark Kent já foi logo tomando um esporro do chefe de reportagem.

- Tá pensando que isso aqui é vida na fazenda, Clark? Porra nenhuma! Isso aqui é cidade grande, meu amigo, metrópole. Não dá pra ser lerdão assim, não.

Foi quando Clark teve revelado o seu primeiro superpoder, o da paciência. Paciência para agüentar aquele chefe de reportagem escroto, paciência para agüentar entrevistado escroto.

Clark só descobriria seu segundo superpoder 15 dias depois, quando o mesmo chefe de reportagem lhe deu de presente uma pauta inesperada: exclusiva com o prefeito.

- Você só tem 15 minutos para chegar à prefeitura. E não pode atrasar, ouviu? Se vira, Clark. Vai voando.

Sem que o pessoal da redação percebesse, Clark pegou bloquinho e caneta, e abriu a janela do 15º andar.

O trabalho de jornalista ajudou Clark a concluir que ele só podia ser de outro planeta. Em menos de um ano, já havia descoberto vários outros superpoderes, como o da imortalidade (trabalhou dois meses sem folga e não morreu), o do sopro congelante (que estreou contra um assessor de imprensa chato) e o da invulnerabilidade (com exceção, claro, à kryptonita e ao filé mignon ao molho madeira que, sempre que devorado numa coletiva, lhe causava uma puta diarréia).

Lois Lane, sua namoradinha na redação, adorava o superpoder da velocidade de Clark. Transavam em 2 ou, no máximo, 3 segundos nas escadas entre o 15º e o 16º andar. Eram tantas pautas, tanta exploração, que não havia muito tempo para o amor naquele jornal. A rapidíssima, repetida três ou quatro vezes ao dia, ajudava Lois a suportar o estresse da profissão.

O único superpoder que Clark não conseguiu desenvolver foi o da resistência às suas crises de vaidade. Era só não emplacar a manchete do jornal que ele ficava todo nervosinho. Nesses dias, Clark descontava sua raiva em Lois, privada das alegres visitas às escadarias do prédio, e nos pobres assessores de imprensa que apareciam na redação. Demoravam horas para descongelar.

16 comentários:

JD - João Damasio disse...

não podemos revelar nossos superpoderes assim, cara!
todo mundo tem que achar que somos apenas aqueles que fazem um jornal ser impresso do nada e que moram de terno e bermuda na bancada do programa de TV, bonitinhos. #nossodisfarce

Lanier Rosa disse...

Agora fiquei em dúvida sobre como a Louis se vira sem podeer voar. rsrsrs

Giovana Damaceno disse...

Rindo muito... lembrando de coisas... rsrsrsrs...

A viajante disse...

Muito bom, Duda!

Jessica Sousa disse...

Adorei o texto! Simplesmente incrível. Meus parabéns!

É tão raro encontrar alguém que escreve com tamanha qualidade que fico até animada.

Grande abraço e até a próxima!

Anônimo disse...

Já havia lido um texto seu. E havia gostado muito.
Este aqui não é diferente. Gosto muito da maneira como escreve.
Parabéns! Há criatividade, construção de idéias e uma forma de crítica muito bacana.

Anônimo disse...

Já havia lido um texto seu. E havia gostado muito.
Este aqui não é diferente. Gosto muito da maneira como escreve.
Parabéns! Há criatividade, construção de idéias e uma forma de crítica muito bacana.

Menina no Sotão disse...

Agora eu descobri porque não dei certo na profissão. Alguns suporpoderes me faltam. Mas tudo bem, ao menos a paciência eu desenvolvi em seis meses de redação, mas depois disso, disse "chega". Sou tão feliz hoje... hehehehe

bacio

Duda Rangel disse...

João, Lanier e Menina no Sotão, seria bom se todos os jornalistas tivessem superpoderes.
A viajante, que bom te ver novamente por aqui.
Giovana, fiquei curioso com as lembranças de coisas...
Jessica e Anônimo, muito obrigado pelas mensagens.
Abraços a todos.

Luciana Rodrigues disse...

Faça isso não Clark! Voar sem chifre é bem mais fácil e libertador! A Louis sem voar vai ficar um perigo srsrsrrss

Maria disse...

Acho que o super herói na verdade é aquele que faz tudo sem os super poderes e ainda manda ver! Estou engatinhando nesse caminho, e acho que estou aprendendo mais fora da faculdade sobre o que é o jornalista! Coragem galera!

Duda Rangel disse...

Tá no caminho certo, Maria. Boa sorte na profissão. Beijos.

d20m06 disse...

Aqui onde estou é mesmo uma espécie de Planeta Diário! Só mesmo com super-poderes, digamos, paranormais!

Evelise Couto disse...

e o superpoder de se virar com salário de jornalista? além disso, fiquei em dúvida, a Lois tb desenvolveu o poder da rapidíssima? pq senão a moça tá em grande desvantagem. sei não... se eu fosse o Clark Kent, ia fazer cupcakes e vender às pencas aos hipsters de plantão.

Caline disse...

Cadê o cachorro??? Põe de volta o cachorro no blog, mesmo que ele não fique no lugar do banner!

Duda Rangel disse...

Evelise, haja superpoder para se virar com o salário de jornalista. Quanto a Lois, ela já deve ter se acostumado com a rapidíssima. É o que dá pra fazer entre uma pauta e outra. :)
Caline, Nestor, meu querido boxer, está de volta ao blog.
Beijos.