terça-feira, 12 de junho de 2012

Por que jornalistas namoram jornalistas?


No Dia dos Namorados, um post para relembrar.

Porque eles freqüentam sempre as mesmas redações, os mesmos bares de jornalista, festas de jornalista, eventos para jornalista.

Porque pobreza atrai pobreza.

Porque só um jornalista entende as neuras do outro.

Porque só um jornalista suporta o papo de jornalista do outro.

Porque é doce a ilusão de, um dia, se tornar o novo casal 20 do Jornal Nacional.

Porque um não pode rir da desgraça do outro.

Porque o namorado(a) anterior era publicitário(a) e descobriu-se, assim, que tem coisa pior que jornalista neste mundo.

Porque jornalistas são metidos mesmo e querem cruzar apenas entre si para perpetuar a pureza da espécie.

Porque o amor é cego e surdo e estúpido, nunca ouviu isso, não?

Porque, como os dois ralam pra cacete e vivem fazendo plantão, o risco de um cornear o outro é bem menor.

Porque, como os dois ralam pra cacete e vivem fazendo plantão, o risco de um ter que conviver com a família do outro é bem menor.

Porque algum(a) ex de outra profissão deve ter jogado uma praga daquelas bem fortes, do tipo vocês jornalistas se merecem, manja?

Porque essa coisa de ser meio anti-herói e esquisito tem um charme que só outro jornalista é capaz de perceber e deixar-se seduzir.

Porque jornalista é um bicho burro mesmo. Com tanto engenheiro rico e empresária bem-sucedida por aí, vai escolher logo outro jornalista? Faça-me o favor.

15 comentários:

Fernanda Costa disse...

Porque é sempre bom ter alguém para revisar o seu texto!!

Vanessa Moraes disse...

Amei! kkkk... Pelo menos eu namoro um administrador.. não é rico como um engenheiro de sucesso, e nem zicado como jornalista pobre.... kkk

Taina disse...

rsrsrs Fernanda....concordo com você.

Fernanda disse...

Muito bom!

Jeferson disse...

Mostrei esse post pra minha gerente lá na ASCOM, e ela se espocou! Muito bom!

Duda Rangel disse...

Caros, obrigado a todos pelas palavras aqui deixadas. Um salve aos namorados e namoradas revisores de texto! Vanessa, ótima a definição de seu administrador! Abraços

Luh Ciecelski disse...

Hahahaha :) Ótimo Duda. Agora sei onde estou me metendo!!

JM disse...

Estou rindo muitoooo!!! Vejo que este namoro endogâmico é igual em todo mundo. Sou Argentina e claro que lá se cumprem esses mesmos princípios; sobretudo, aquele de "pobreza atrai pobreza", hahaha... (agora moro no Brasil, me tornei antropóloga e casei com um engenheiro, mas a jornalista que fui mora no meu coração e os namoros endogâmicos... também!!!) Parabéns Duda, ótimo texto, cheio de graça e carinho!

Duda Rangel disse...

Luh, este é o tipo de informação essencial para um jornalista. :)
JM, obrigado pela mensagem tão carinhosa. Abraços do Duda

Anônimo disse...

existem aqueles que se casam com médicos e desembargadores, promotores e juízos. são poucos, mas existem.

Izabel disse...

Engraçado oq vc falou sobre os publicitários rsrsr axo q vc nao deve ter mt experiencia, duda kkkkkkkk nunca vi um publicitario reclamar da vida, já jornalistas kkkkkkkkkk

Maria Brisa disse...

Duda! Sinceramente, este foi o melhor! Ai,estou até mais aliviada. Já estava acreditando que eu era uma "encalhada, pobre jornalista que só atrai outro jornalista,rsrsrs.

Duda Rangel disse...

Oi, Maria Brisa. Fico feliz em saber que o texto te deixou mais aliviada. Beijão.

Julianne Guimarães disse...

Melhor blog! Publiquem logo outro livro!

Duda Rangel disse...

Oi, Julianne, muito obrigado! No início do próximo ano, sairá um novo livro, também falando de jornalismo com bom humor, só que em um novo formato. Aguarde! Beijos.