quarta-feira, 21 de novembro de 2012

25 tons de jornalismo (o manual sadô-masô da imprensa)


Mordaça – para o jornalista ficar quietinho.

Venda nos olhos – para o jornalista ficar ceguinho.

Chicote – só fez quatro matérias hoje? Tá muito lerdo! (som de chicotada no lombo)

Dominação – faça o que eu estou mandando ou você perde o seu emprego.

Submissão – sim, senhor, é para escrever mal de quem?

Sadismo – você está na escala de plantão do carnaval. (gargalhadas)

Sadismo 2 – você vai ler este release cheio de erros, sim, e escrever uma nota bem bonita.

Sadismo 3 – quero que você vá cobrir o show do Restart.

Sadismo top – leia Veja. Indispensável.

Tortura psicológica – tá sabendo que o jornal vai fechar no mês que vem?

Humilhação – esse aqui é o seu contracheque, amor? Você não me contou que ganhava só isso.

Algemas – ah, a maldita falta de liberdade.

Dogplay – se você for um repórter obediente e for à minha coletiva, vai ganhar um presentinho.

Escravidão – mas, chefe, eu não folgo há três semanas.

Podolatria – o seu lead está no pé e não no abre da matéria. Dá para inverter isso?

Castigo – o texto não tá bom. Reescreva essa porra, por favor.

Fetiche – ter uma credencial (de couro) no pescoço.

Fetiche 2 – ter tempo livre.

Fetiche 3 – ter um emprego.

Jornalismo anal – No começo dói um pouco, mas depois a gente acostuma. Até gosta, sabe?

Máquinas medievais de tortura – a máquina de escrever que prendia a tecla, enroscava a fita.

Máquinas modernas de tortura – o computador de bosta que sempre dá pau quando não pode dar pau.

Masoquismo – pai, eu quero estudar jornalismo.

Masoquismo 2 – pai, eu vou me casar com um(a) jornalista.

Masoquismo 3 – Cobrir o show do Restart? Hoje à noite? Claro. Eu adoro Restart.

 
Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.

Curta a página do blog no Facebook aqui.

11 comentários:

Eliane Santos disse...

Rir das desgraças! É isso Duda, obrigada kkkkk
Adorei!

Rudsson Santos. ( Rude) disse...

Fetiche 3 – ter um emprego. To nessa pegada.

Lorena Cecília Rosa disse...

Masoquismo 4: Ser jornalista e casar com outro jornalista.

Lucas Dantas disse...

haha! adorei o texto, muito bom mesmo.

abraço :)

Andréa Mota disse...

kkkkkkkkkkkk

Fetiche 3 – ter um emprego.

Que miséria de vida, meu deus! Minha mãe deveria ter me dado uma coça quando eu disse que queria mudar de curso. É, eu sou um dos piores. Eu TROQUEI! huaahua

Muito bom!

rntpincelli disse...

Só não são 50 tons porque jornalista não tem grana (nem tempo) pra tanto.

Fábio Silva disse...

o sadismo 3 não, não, não..nem pensar!

Nany disse...

Fetiche e o Masoquismo 3 foram os que mais me fizeram rir...


No fundo, no fundo, a gente até gosta desses "sofrimentos" :)

Duda Rangel disse...

Obrigado a todos pelas mensagens. Espero que se deliciem com este manual. Abraços.

Helen Fernanda disse...

Fala mal de alguém é fácil, a pior submissão mesmo é ter que falar bem de quem não merece. kkk

Duda Rangel disse...

Helen, esta submissão também é ruim, sim. Abraços.