segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Os 12 trabalhos de Hércules


Hércules da Silva era um jornalista talentoso. Mas sua ascensão profissional despertou a ira de um editor do jornal em que trabalhava, que temia ser substituído pelo jovem. O editor preparou uma macumba das bravas e amaldiçoou sua carreira. Hércules pirou, virou um jornalista sem escrúpulos e foi demitido.

Ao recuperar a razão, estava sem rumo e sem emprego – não era mais aceito em nenhuma redação. Hércules, então, pediu ajuda a um recrutador de talentos, que lhe indicou uma agência de comunicação empresarial. Virou assessor de imprensa. Para reconquistar o prestígio profissional, precisou servir ao seu chefe em 12 árduas tarefas, com dedicação e coragem extremas, como um verdadeiro herói da mitologia grega.

1º Trabalho – Atendeu a seis contas de diferentes segmentos ao mesmo tempo, com a missão de não perder a sanidade mental.

2º Trabalho – Ficou dias inteiros ao telefone, fazendo follow up. Teve de vender pautas a jornalistas sem paciência de ouvi-lo. Resistiu a xingamentos ao ligar no horário do fechamento.

3º Trabalho – Acordou ao longo de meses de madrugada para fazer clipping de jornais e revistas. Privou-se de cafés da manhã.

4º Trabalho – Suportou uma reunião de briefing com o mais chato cliente da agência.

5º Trabalho – Passou quase um ano tentando emplacar um entrevistado que não tinha porra nenhuma de interessante para contar no programa do Jô Soares.

6º Trabalho – Enfrentou um almoço com jornalistas arrogantes, para estreitar relacionamento.

7º Trabalho – Travou uma luta com o gerente de uma conta para justificar por que apenas dois jornalistas tinham ido a uma coletiva de um cliente importante.

8º Trabalho – Convocou uma reunião de urgência com a imprensa, para que um cliente explicasse um escândalo de corrupção sem muita explicação.

9º Trabalho – Precisou convencer um executivo egocêntrico (cliente da agência) a não pedir ao jornalista que o entrevistara para ler a matéria antes de sua publicação.

10º Trabalho – Teve de comprovar o sucesso de uma campanha de imprensa por meio de um banal relatório de centimetragem.

11º Trabalho – Suportou o ataque selvagem de jornalistas ávidos por um jabá, ao desfilar por uma redação com uma sacola cheia de mimos de um de seus clientes.

12º Trabalho – Venceu a revolta de um grupo ensandecido de RPs, contrários à invasão de jornalistas na área deles.

4 comentários:

Lilian disse...

Um dia quero ser um "Hércules" da vida...ou no mínimo, uma "Herculana".
Parabéns pelo blog, Duda Rangel. Excelente forma de opinar. Espero que parte da sua entrevista aconteça.
Abs e sucesso.

Flávia Romanelli disse...

Muito bom, tenho um quê de Hércules por aqui no meu cotidiano!

Bjo

Duda Rangel disse...

Olá, Lilian. Olá, Flávia. Apesar de jornalista reclamar da rotina corrida, dos pescoções, dos plantões de fim de semana e do salário, a vida “do outro lado do balcão” também não é nada fácil. Como sofre o assessor de imprensa! Beijos do Duda.

Derla disse...

huhauhauhau credo. Vida corporativa é osso...