quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Cinco dicas para uma entrevista de emprego


São tão raras as entrevistas de emprego que, quando o jornalista tem a oportunidade de ir a uma, deve se esforçar para não fazer feio. O blog preparou cinco dicas para você:

A questão da roupa e da aparência é sempre importante e depende muito de quem será o entrevistador. Se for um daqueles editores mauricinhos, de gravata amarela e gel nos cabelos, não se esqueça de fazer a barba e evite calças rasgadas e camisetas com a cara do Mussum. Se o entrevistador for do tipo galinha, apostar num decote até o umbigo é uma boa idéia para as mulheres. E nada de usar a camisa pólo que ganhou de jabá numa coletiva, com nome e logo de empresa de fios e cabos elétricos.

Atenção com o portfólio é fundamental. Se você é um jornalista jurássico que luta para voltar ao mercado, nem pense em levar a pasta mofada com recortes de suas matérias no Jornal de Carapicuíba de 1983. Se você é jovem e seu portfólio é tão pequeno que te mata de vergonha, destaque outras atividades, como trabalhos voluntários. Que tal dizer que você entrega sopão a repórteres desempregados que moram debaixo do viaduto ou participa do projeto de inclusão sexual do Retiro dos Jornalistas?

Não fale mal do ex-chefe e da empresa em que trabalhou. Evite desabafos do tipo “Deixei o meu último emprego, porque o meu editor sempre me dava as piores pautas” ou “Depois que coloquei o jornal no pau, aqueles exploradores vão ter que me pagar as horas extras”. Faça um esforço e tente mostrar o lado positivo da experiência anterior, como “Eu era um repórter tão dedicado que cheguei a trabalhar dois meses sem folga, em pautas desafiadoras. Um grande aprendizado!”.

O que é diferencial competitivo para um jornalista hoje? Dizer que você está com o aluguel atrasado, com o nome sujo no Serasa e dificuldade de comprar o leitinho dos meninos não comove mais o entrevistador. Seus concorrentes também farão voto de pobreza. O diferencial é a capacidade de lidar com a miséria. Diga, por exemplo, que, desde que cortaram a energia elétrica em sua casa, você trocou a TV alienante pela leitura dos clássicos à luz de velas. E tem ainda o lance de salvar o planeta, que pega superbem.

Sentir-se seguro é essencial. Aprenda a adequar seu perfil e defeitos às vagas para não perder tempo. Se você é fanho, nem vá à entrevista para a vaga de locutor de rádio; se você é feia, desista de ser apresentadora de telejornal; se você aprendeu Inglês dormindo, a vaga de repórter de Internacional não é para você; se você é comunista, esqueça a oportunidade na Veja; e se você tem um texto sem graça e todo clichê, desista do jornalismo. A menos que a vaga seja de redator da revista Caras.

27 comentários:

Lais Braz disse...

kkkkkkkkkkkkkkk

Agora poderei ir às entrevistas de emprego mais tranquila. Já sei o que devo fazer....

A viajante disse...

Adorei as dicas! Se eu fosse jornalista, seguiria à risca... indiquei pra um amigo jornalista! Bj

Silvana Chaves disse...

Seguirei a dicas rigorosamente...rs

Camilla Lima disse...

Ufa... Está tudo no bloco!Agora estarei mais segura para ir as entrevistas...

Morato Cultural disse...

Boas dicas, seguirei rigorosamente.

Laís Fernanda Borges disse...

ótimas dicas dudas rs

será q se tivesse conhecido o blog mais cedo eu teria conseguido emprego mais rápido? hehehe :)

Renata Eschiletti disse...

Que bom conhecer este blog! Já cadastrei nos meus links preferidos e certamente passarei por aqui várias vezes!

Ingrid Guareschi disse...

Muito bom seu blog... as dicas são incríveis. Tá certinho. Mas é triste saber que a profissão de jornalísta é um fracasso...rs. Mas fazer o que, se algumas pessoas amam essa vida!!! Parabéns!

Duda Rangel disse...

Laís Fernanda, não sei se você teria conseguido um emprego se tivesse conhecido o blog antes. Eu criei as dicas, as sigo e continuo desempregado. Mas espero que possam ajudar alguém. Um dia.
Renata e Ingrid, valeu pelas mensagens. E voltem sempre ao blog.
Abraços a todos!

Tati disse...

Suas dicas são ótimas, com certeza irei usá-las.

Duda Rangel disse...

Valeu, Tati. Beijos.

Andrei Andrade disse...

"se você tem um texto sem graça e todo clichê, desista do jornalismo." Pô, Duda...mas esses são os que mais têm vaga no mercado!! hehehe

De resto, genial.
Abraço!

Bismark disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
ótimas dicas! Se eu conseguir com estas dicas eu te indico!rs

Amanda disse...

Descobri o que me faltava para conseguir um novo emprego... adorei.

lidi ;) disse...

hahahaha
Otimas dicas! Vou usá-las nos próximos dias na busca pelo novo emprego :)

beijo

Camila Diodato disse...

Adorei as suas dicas.
A partir de agora começarei a usá-las nas entrevistas.Muito bom...rsrs

Anônimo disse...

Duda,

Você é muito bom cara!!!

Duda Rangel disse...

Aos que conseguirem emprego com estas dicas, uma lembrança: minha comissão é de 50% do primeiro salário...rs. Abraços.

Vagner disse...

50%? Mas vc se contenta com pouco, hein Duda?
Ótimo blog, parabéns!

Duda Rangel disse...

Valeu, Vagner. Não sou um cara ganancioso, não. Abração.

Rúbia Gomes disse...

Duda, adorei!! Adoro o seu senso de humor e custo a acreditar que você realmente "é desempregado". Talento você tem de sobra!!

Duda Rangel disse...

Obrigado, Rúbia. Grande beijo.

Vanessa Bencz disse...

hehe esse cara é mto bom.
http://garotadistraida.wordpress.com

Duda Rangel disse...

Valeu, Vanessa. Beijão.

Karla disse...

kkkkkk, adorei! Dicas preciosas...rs Valeu Duda.

Ana Paula disse...

Sempre, ao ler as postagens é identificação pura! Poxa, mas queria saber um jornalista assim, feliz, orgulhoso do trabalho e do salário, sem ser o Willian Bonner... pq até a Fátima Bernardes já abandonou essa!

Duda Rangel disse...

Valeu, Karla.
Ana Paula, cada um tem a sua forma de ser feliz, de se orgulhar da profissão. Não precisamos ser um Bonner.
Beijos.