sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mãe de jornalista


Em homenagem ao Dia das Mães, um post para relembrar.

Mãe de jornalista é mais preocupada do que todas as outras mães preocupadas do mundo. Meu filho, se for pro morro cobrir guerra entre polícia e traficante, não esquece de levar o colete à prova de balas, tá me ouvindo? Não quero filho meu pegando bala perdida por aí. Mamãe deixou o colete arrumadinho lá na sua cama.

Mãe de jornalista não tem noção da rotina do filho. Não, mãe, eu não tô na farra. Tô no pescoção, mãe. Isso, mãe, pescoção é trabalho. Pois é, mãe, jornalista trabalha até essa hora. Então, mãe, também não vai dar pra almoçar com a senhora no domingo. Vou estar de plantão. Por favor, mãe, não chora. Mãe?

Mãe de jornalista não entende o visual desleixado do filho. Há quantos anos você usa essa calça? E esse All Star todo sujo? A barba, meu filho, faz a barba! Parece um mendigo!

Mãe de jornalista adora comparar a filha jornalista com o filho médico. Você poderia muito bem ter feito como o seu irmão, o Pedro Paulo, e seguido a profissão do seu pai. Filha, aquele consultório o seu pai construiu pra deixar pra vocês dois! Ainda dá tempo de mudar, filha! Faz como o Pedro Paulo.

Mãe de jornalista também tem orgulho da filha. Recorta tudo que é matéria publicada no jornal. Coleciona, mostra pra família, pras amigas invejosas. Ou fica sentadinha na frente da TV, joelhos colados, mãos sobre as coxas. Não perde um instante da entrevista da filha, com não sei quem, sobre sei lá o quê. Pela tela, faz cafuné na cabeça da moça. Os olhos num aguaceiro só.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.


Curta a página do blog no Facebook aqui.

12 comentários:

Maria Garcia disse...

O último parágrafo me fez quase chorar. Sério

Ocimar disse...

Essas mulheres fantásticas que nos inspiram a buscar uma esposa que a ela se pareça! Eu gosto das baixinhas por isso, porque minha mãe é um pinguinho de gente!
E vou estar de plantão no domingo, enquanto coordeno o churrasco...mole?

Alessandra Sabbag disse...

O último parágrafo me fez quase chorar. Sério [2]

Elijonas Maya disse...

Não sei porquê, mas "O último parágrafo me fez quase chorar. Sério [3]", também.

Giovana disse...

A notícia pra ela é o filho! Mãe de jornalista; mesmo brigando, implicando e enchendo de recomendações é a primeira ouvinte-leitora-telespectadora! Texto ruim, ao vivo péssimo, não importa, ela sempre terá um ponto positivo pra ressaltar! E o último parágrafo me fez quase chorar. Sério! [4]

ART"ROSE disse...

e pensar que vou passar por isso!!!
amar minha filha pela tv., jornal, etc.....amar sempre!!!

Messias Matheus disse...

Meus olhos marejam d'água... Pq fui ler esse último parágrafo?

Maria Moura disse...

Acho que todos os jornalistas se refletiram nesse texto. Profundo. =)

JORNALISMO ANTENADO disse...

Adorei o texto me emocionou aqui.... esqueceu de acrescentar que mãe de jornalista começa a chorar e faz a filha chorar dobrado quando leva na rodoviária quando ela viaja de novo pra cidade onde tá morando..... =/

Duda Rangel disse...

É muito legal saber quando um texto mexe, de alguma forma, com os leitores. Obrigado a todos. Aquele abraço.

Cristiane Prezotto disse...

Minha mãe dá graças a Deus por eu ter deixado a rua (reportagem) e estar na redação...assim não corro riscos...kkkkkkkk

Duda Rangel disse...

Cristiane, na redação, corremos outros riscos. :) Bjs.