sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O post jornalístico dos porquês


Por que o Globo Repórter só fala de bicho e colesterol? Por que o piso salarial do jornalista é muito mais piso do que o piso de várias outras profissões? Por que o jornal de domingo tem mais anúncio do que notícia interessante? Por que tem repórter que nunca sabe a diferença entre por que, por quê, porque e porquê? Por que pauteiros e assessores de imprensa têm uma relação de amor e ódio? Por que eu não ouvi meu pai antes do vestibular? Por que nos telejornais só existem as moças do tempo e nunca os moços do tempo? Por que a nossa liberdade é sempre capenga? Por que a nossa profissão dá um prazer que nem Freud explica? Por que a cobertura do Dia das Mães é todo ano igual? Por que tem frila que demora tanto a ser pago? Por que ainda tem tanto jornalista que se acha? Por que ainda tem tanto jornalista perdido? Por que os portais de internet são tão poluídos? Por que jornalista é uma raça desunida? Por que a Ana Paula Padrão insiste em chamar a Record de Globo? Por que o jornalismo é um vício difícil de largar? Por que o Ministério da Saúde não adverte porra nenhuma sobre esse vício? Por quê? Por quê? Por que jornalista tem essa mania de querer saber o porquê de tudo?

7 comentários:

Ana Cristina Soares disse...

E por que existem tantos porquês? Nem sei se escrevi certo! rs

Nando Custódio disse...

O dia que soubermos o porquê da palavra "separado" ser escrita com tudo junto e "tudo junto" ser escrito separado, saberemos por que razão somos tão curiosos!Genética, gramática ou malemolência?

Karla Losse Mendes disse...

Muito bommmm! Adorei, rs.

Duda Rangel disse...

Boa, Nando.
Ana, jornalista é um bicho curioso.
Karla, valeu.
Abraços.

Sig Souza disse...

Pequena ajuda pra quem sofre com os porques da vida
http://www.steacher.pro.br/porque.html

@ViniSevero disse...

Só vou responder sobre o prazer, já que o Freud não quis explicar. A profissão dá essa sensação porque nos mantém eternamente jovens, sempre ao lado da história, seja assistindo ou a escrevendo e questionando seus rumos. Tem algo mais encantador que isso? Ah, claro, ganhar dinheiro. Mas estou falando de jornalismo.

Duda Rangel disse...

Vini, ganhar dinheiro já é outro papo. Abraço.