quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Clássicos do axé para jornalistas


Eles voltaram para animar o carnaval da redação.

Carteirada na Festa
(versão de Festa, de Ivete Sangalo)

Hoje tem festa bacana
Comida pra se fartar
Carteirinha da Fenaj
Claro que eu vou usar.

Tem prosecco, sim, senhor
Croissant e canapé
Boca é livre, meu amor
Hoje é noite de filé
Vai lá, pra ver...

Repórter sem trabalhar
Só pra comer e beber
O assessor já mandou me chamar
Avisou! Avisou! Avisou! Avisou!

Carteirada na festa
Eu vou dar
Até o segurança
Mandou liberar.


Droga de matéria
(versão de Dança da Manivela, de Asa de Águia)

Eu vou perguntar pra foca, meu amor (meu amor)
Mas que droga de matéria ela entregou (mas que matéria)
Eu vou perguntar pra foca, meu amor (meu amor)
Mas que droga de matéria ela entregou.

Dizendo que aqui tá fraco, lá tá ruim
Muito fraco, muito ruim
Aqui tá fraco, lá tá ruim
Muito fraco, muito ruim.

Muda o leadzinho dela
Limpa os errinhos dela
Corta o pezinho dela
Reescreve mais um pouquinho.


Que vida louca
(versão de Levada louca, de Ivete Sangalo)

Rale, rale, rale
Trabalhe sem bico de choro
Cheque, cheque, cheque
Até o furo nascer.

Que vida louca
Que vida louca
Que vida louca
De levar.


Pauteira
(versão de Sorte Grande ou Poeira, de Ivete Sangalo)

Pauteira
Pauteira
Pauteira
Liga pra pauteira!


Cheque especial
(versão de Água Mineral, de Carlinhos Brown)

Pagou o aluguel? Não!
Tá sem grana? Tô!
Olha, olha, olha, olha o cheque especial
Cheque especial
Cheque especial
Cheque especial
Com juro espacial
Depois você se dá mal.


Pescoceition
(versão de Rebolation, de Parangolé)

Enche a cara de café que vai começar...
O pescoceition, tion, o pescoceition
O pescoceition, tion, o pescoceition.


Frila
(versão de Milla, de Netinho)

Ô, frila
Só mais uma noite
Dez laudas pra escrever
Texto pé no saco
Por um fee bem safado
Só no café requentado
No maior baixo-astral.

Já é madrugada
Não consigo acabar
Vejo estrelas caindo
Ouço o galo cantar
Eu e você... e o omeprazol
E o omeprazol.


Salário Ruim Demais
(versão de Ara Ketu Bom Demais, de Araketu)

Nem dá pra te dizer
O salário que eu vou ganhar
Não dá, não dá, não dá, não dá.

Nem dá pra te dizer
O salário que eu vou ganhar
Não dá, não dá, não dá, não dá.

Só sei
Que o rosto enrubesce
Coragem desaparece
Vergonha do cacete é o meu drama
Entendi por que o povo reclama
Pra lixeiro pagam mais
Só sei
Que meu salário é ruim demais.

Ê, ô, ê, ô
Ganho o pisô, ganho o pisô
Ê, ô, ê, ô
Ganho o pisô, ganho o pisô.


Sou jornaleiro
(versão de Sou praieiro, de Jammil e Uma Noites)

Sou guerreiro
Jornaleiro
Jabazeiro
Quero mais o quê?

Sou guerreiro
Jornaleiro
Jabazeiro
Quero mais o quê?


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.



Curta a página do blog no Facebook aqui.

6 comentários:

Júlia Mara Cunha disse...

kkkkk.. Muito bom.

val disse...

Por favor, reedita o das marchinhas de carnaval que é um clássico

Duda Rangel disse...

Valeu, Júlia.
Val, já fiz isso uma vez. Agradeço a sugestão.
Abraços.

Jéssica disse...

GENIAL!!

Jéssica Simões disse...

kkkkkkkkk
Uma das pessoas mais criativas que já "conheci".

Duda Rangel disse...

Jéssica(s), obrigadão!