terça-feira, 6 de agosto de 2013

Crônica de um jornalista bipolar


Agora estou feliz. A matéria rendeu, repercutiu, incomodou muita gente. Agora estou triste. Um vazio enorme na alma do tamanho do vazio desta página que vou ter que preencher sozinho com sei lá quantos textos. Agora estou feliz. Edição fechada. Hora de descer para o bar e rir e rir e rir de todas as merdas do dia. Agora estou triste. A reportagem que eu fiz com tanta dedicação caiu. Agora estou feliz. Finalmente pingou meu salário na conta. Agora estou triste. Porra, mas já acabou o salário? Agora estou feliz. O cara topou falar comigo, só comigo. Agora estou triste. O cara não soltou nada de interessante, cara chato, vaselina. Agora estou feliz. Pintaram uns frilas bons. Agora estou triste. Essa coisa de a gente estar sempre buscando ser feliz me deixa meio triste, sabe? Agora estou feliz. Além de sorrir para mim, a assessora de imprensa bonitinha elogiou a minha matéria. E eu aposto que ela nem leu. Agora estou triste. Ainda não me pagaram os tais frilas bons. Agora estou feliz. Manchete do jornal, porra! Tô pensando seriamente em não desistir mais do jornalismo. Agora estou triste. Novo corte. Mais 20 amigos sem emprego. Será que não é a hora de eu, sei lá, virar hippie? Agora estou feliz. O cara que desviava o dinheiro da merenda das criancinhas que eu denunciei foi preso. Ih, se fodeu. Agora estou triste. A assessora bonitinha tem namorado. Ih, me fodi. Agora estou feliz. Com um mês de atraso, pagaram os frilas, que, pensando bem, nem eram tão bons assim. Agora estou na dúvida se eu fico triste ou feliz. Agora estou triste. Por que jornalista é sempre cheio de dúvida? Agora estou feliz. Porque a dúvida nos faz pensar, buscar uma saída. Agora estou triste. O computador travou. Agora estou feliz. A assessora de imprensa bonitinha me contou que deu um pé no namorado e tá tristinha por não ter companhia para ver no cinema um filme que ela ama muito. Agora estou triste. Não me sobrou um puto para assistir ao filme que ela ama muito. Vai acabar namoro bem no fim do mês? Agora estou quase cortando os pulsos, mas a assessora bonitinha me liga e diz que descolou dois ingressos com outro assessor. Agora eu fico feliz pra caralho.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.


Curta a página do blog no Facebook aqui.

7 comentários:

Álefe Souza disse...

Muito, muito, muito bom!! kkkk!!

aline silva souza disse...

Muito bom o que você faz. Isso não pode ser trabalho! coisas boas e prazerosas não nos dão trabalho, não o são. Você que é melhor!

aline silva souza disse...

Suas palavras tem uma melodia gostosa de se ler!

Duda Rangel disse...

Aline, fico muito feliz com as tuas palavras. Valeu! Álefe, muito obrigado por tua mensagem também.

Daniel disse...

Caramba, isso é o retrato 'nu' e 'cru'da nossa realidade. Acho que no fundo, todos somos bipolar. hehehe.

Eliane Santos disse...

Muito bom! kkk, às vezes fico um tempo sem passar por aqui, mas definitivamente não posso fazer isso!

Duda Rangel disse...

Que bom, Eliane. Volte mais vezes.