segunda-feira, 13 de maio de 2013

Por que um ser humano aparentemente normal decide ser jornalista?


Porque ele nunca foi bom nessa coisa de álgebra, geometria plana, progressões aritméticas.

Porque ele acredita em cartomante, no Guia do Estudante, em teste vocacional.

Porque Deus estava de folga quando ele decidiu prestar o vestibular.

Porque o anjo da guarda estava de ressaca no dia da prova.

Porque a tia Maria, professora de Redação, disse que ele levava jeito pra escrever.

Porque ele deve ter feito alguma merda grande na vida passada e agora voltou jornalista para pagar a dívida.

Porque ele cresceu ouvindo notícia na rádio e sempre soube que era aquilo que queria pra vida.

Porque todo mundo tem um defeito.

Porque vocação para a pobreza é uma coisa genética em muitas famílias.

Porque ser aparentemente normal é muito chato. O bom é parecer meio maluco.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.


Curta a página do blog no Facebook aqui.

22 comentários:

Cinthya Peixe disse...

Fantástico!

Edenilton Santos disse...

É desse jeito!

Sandra Peres disse...

Vocês estão querendo me dizer que minha mãe estava certa quando me proibiu de fazer jornalismo?
Jamais!

Anônimo disse...

"Porque ser aparentemente normal é muito chato. O bom é parecer meio maluco."

Muito boa essa frase.. hauhauhau

Duda Rangel disse...

Sandra, as mães sempre querem o melhor para os filhos. Só isso. Mas o que vale é o nosso desejo.
Obrigado a todos pelas mensagens. Abraços.

Karla Grignet disse...

kkkkkkkkkk exato!

Silvia Marcela Freitas disse...

Quantas vezes eu ouvi esta frase: você escreve bem!

Então quando fui escolher o curso pensei: Vou fazer jornalismo já que gosto de escrever.

Ai ai...

Li Melo disse...

Todas as opções estão corretas. Rs

Fábio Seletti disse...

Realmente, faz uma semana pra eu colar grau e até hoje eu não soube a resposta.

Mas agora eu entendi. O jornalista é um desajustado. Não se encaixa. Se encaixa, não serve pra ser jornalista.

:)

Duda Rangel disse...

Fábio, o tipo desajustado é mais interessante, tem seu charme. Abração.

Mariane disse...

E eu faço o que com a minha mãe? Sim, porque foi ela quem me inscreveu no vestibular para jornalismo...rs

Duda Rangel disse...

Mariane, prefiro não me meter em encrencas familiares... :)

Wilian F. disse...

Maldade hahaha e jornalismo é para quem aguenta pressão, porque se não tiver cabeça, desista, fora ser cara de pau

Risabelle Jade disse...

Muito bom! Vou cursar com fé em Deus, não me vejo fazendo outra coisa.

Jolie disse...

porque não tem apego nenhum a dinheiro...

Maraísa Tavares disse...

A parte de não saber álgebra e nenhum cálculo é verdade kkkkkkk, mas estou fazendo estágio e adorando, definitivamente não me vejo em outra profissão.

laurete . disse...

Não importa ainda sonho e quero ser jornalista, já fiz a burrada de fazer a vontade da família, agora chega!!! Vou seguir minha loucura uhuuu

Breno Barros disse...

Eu acreditei no teste vocacional... Mas não me arrependo de nada. Bons anos de faculdade e cinco anos como repórter. Só não dava pra ser liso o resto da vida aí tô tentando outros voos. Se der merda, assumo a pobreza e volto ao jornalismo. É mesmo um profissão apaixonante.

Duda Rangel disse...

Cada um tem suas razões para decidir ser jornalista. Obrigado a todos pelas mensagens, por compartilharem suas histórias. Abraços.

Nathália Werneck disse...

Diálogo entre eu e minha mãe quando disse que faria jornalismo:

Mãe - Mas não tem outra profissão que dê mais dinheiro, não? O que você faria se não existisse Comunicação Social?

Eu - Ah, mãe, não existe outra. Sério. Acho que minha segunda opção seria fazer Ciências Sociais e prestar concurso pra ser Cientista Social de alguma universidade, sei lá...

Mãe - Não! Você tá louca? Isso é pior ainda! Pense de novo!

Eu - Filosofia.

Mãe - Não! Eu falei DAR DINHEIRO.

Eu - Não sei mãe! Sociologia, Cinema, Moda, Letras, História... Talvez Psicologia. Não sei!

Mãe - E Direito? Você poderia prestar concurso e ser juíza ou promotora! Ou talvez trabalhar em cartório!

Eu - Mãe, eu quero uma profissão que escreva sabe?

Mãe - Trabalhando em cartório você escreve petições pro juiz!

Eu - Meu Deus mãe ... QUE legal... só que não. ¬¬

Mãe - Então tá. Eu avisei! Já que você não quer Direito, faz Jornalismo mesmo. É a que você menos vai morrer de fome. Mas depois não diga que não avisei!
- -
Foi assim que minha mãe parou de me chatear e entendeu que não tem jeito. Tudo o que eu gosto não dá dinheiro no Brasil. E mesmo se ela não aceitasse, eu me inscreveria no Sisu pra CS/ Jornalismo.

Duda Rangel disse...

Nathália, muito boa a tua história. Tem coisa pior que o jornalismo... hehehe Beijos

Ana Paula Rodrigues disse...

Sonhos se tornam realidade , por isso tentar realizar ele já e um grande passo em meu objetivo ...