sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O jornalismo investigativo 2.0


– Editoria de política, boa tarde.

– Por favor, eu gostaria de falar com o Tião Carvalho.

– É ele.

– Que honra!!! Tião, o maior repórter investigativo do Brasil.

– Quem fala?

– Gostaria de revelar um escândalo de corrupção.

– Amigo, ando sem tempo. Estou fazendo uma grande reportagem que exige horas de pesquisa no Google.

– É coisa quente, Tião. Esquema de mensalão. Sou ex-secretário do governador.

– Recebo denúncias a toda hora.

– Mas eu montei um dossiê completo sobre o caso.

– Dossiê? Já estamos falando a mesma língua.

– Tenho gravações de áudio e vídeo.

– É maracutaia nova? Esse negócio de dinheiro na cueca e na meia já não causa mais indignação.

– São cenas fortes, Tião. É o caso de um deputado conhecido por Papillon. O sujeito esconde dinheiro onde você nem imagina.

–Isso deve vender muito bem!

– E o material é exclusivo.

– A qualidade do som está boa? Não tenho saco de transcrever diálogos.

– Vem até com legenda, praticamente high definition, coisa de primeira. Tudo prontinho, do jeito que vocês, jornalistas, gostam.

– Maravilha. Preciso ver esse material.

– Eu até conheço um lugar bem discreto para a gente se encontrar, mas acho que você vai preferir que eu mande por e-mail, correto?

– Sim, mas, por favor, zipado, hein?

6 comentários:

Isa. disse...

Ai Duda, eu me divirto com seus posts!
adoro passar por aqui!
beijos!

http://semtravasnalingua.blogspot.com/

Rivka disse...

Jornalistas de gabinete. hahaha. Muito bom.
Beijos

www.tudoaotodo.blogspot.com

Flávia Romanelli disse...

Bons tempos aqueles...

eder luiz disse...

olá ,o tema de minha monografia é "a inexistência de jornalismo investigativo no estado do Tocantins", comecei a percorrer jornais , sites e outros em busca de informações, encontrei seu blog, gostaria se possível, de alguma ajuda, ou dica para o trabalho,pois, além da monografia este gênero, se assim podemos classificar está me interessando cada vez mais, abraços, parabéns pelo espaço..Eder Luiz email: eder.s.rede@gmail.com

Wagner Hilário disse...

Excelente.

Em tempos em que o jornalismo passou a ter inúmeros adjetivos, inclusive "investigativo", atributo intrínseco à profissão (assim devia ser), vale à pena lembrar que até o "jornalista investigativo" não precisa mais investigar e prefere, mesmo, que assim seja.

Abs.

Duda Rangel disse...

É, minha gente, não se faz mais jornalismo investigativo como antigamente. Levantar a bunda da cadeira hoje em dia dá uma preguiça...abraços.