sexta-feira, 16 de julho de 2010

Os melhores (ou piores) aforismos de @duda_rangel no Twitter


Ser jornalista é a condenação à maluquice perpétua.

Jornalista é um pouco cão: fareja (notícias), finge-se de morto (se pinta pauta inesperada), fica feliz se lhe dão comida.

Crise na área de Comunicação: após Carolina Dieckmann virar jornalista, agora Gianecchini é relações públicas.

A vida de um jornalista no início da carreira é muito difícil, mas com o tempo as coisas mudam. E a vida fica complicadíssima.

Ser chamado de "jornalista pobre e miserável" é bullying? Ou só um pleonasmo mesmo?

Liberdade de imprensa é trabalhar na Record e falar mal do bispo, é trabalhar na Veja e falar bem do Lula.

O jornalismo está no nosso sangue, assim como o colesterol ruim.

O que dizer numa entrevista de emprego: "Eu poderia estar roubando, matando, mas não; prefiro pedir uma vaga como jornalista".

Atire o primeiro bloco de anotações ou gravador o jornalista que nunca disse: "Por que eu não estudei Direito ou Engenharia?".

E quando ele nasceu Deus perguntou: "Você quer folgar sempre no carnaval ou quer ser jornalista?".

Pais da jornalista lésbica do BBB ficaram chocados quando ela decidiu sair do armário: "A gente não criou filha para ser jornalista!".

No princípio Deus criou o jornalismo e a jornada dupla de trabalho.

“Afirmo sem medo de errar: o jornalismo on-line jamais substituirá os jornais impressos" (Zé do Peixe, feirante).

19 comentários:

Waléria Pereira disse...

Duda, fabuloso seu texto. Diz exatamente o que estamos dispostos a ser quando escolhemos ser jornalistas. Parabéns e sucesso!

Duda Rangel disse...

Waléria, obrigado pela mensagem. Volte sempre ao blog! :) Duda

Léo disse...

Adorei o texto. Fantástico! Vou voltar com frequência.

Renato Souza disse...

Isso não é vida de gente não.

E pior que todo mundo avisou, faz outra coisa, vai ganhar dinheiro

Mas não... "Eu gosto de escrever!"

Agora escreve aí: Se Fodeu!!!

Duda Rangel disse...

Valeu, Léo. Volte quando quiser.
Renato, nem sempre o que nos dá prazer dá dinheiro. Quem mandou gostar de escrever? Abraços.

Anônimo disse...

Fabuloso!
Kelma Jucá

Thiago Amaro disse...

Duda seu blog é genial.

Me anima todos os dias a continuar na profissão.

Valeu,
Thiago.

Duda Rangel disse...

Valeu, Kelma. Valeu, Thiago. Abraços.

Camila Sol disse...

Choreeeeeeeei de rir. Pior que, mesom sabendo dos efeitos colaterais, ainda amo o jornalismo!!! Muito Bom Duda!

Raquel Trindade disse...

concordo quando diz que o jornalismo está no sangue...só tirando o negocio lá de colesterol ruim... muito bom gostei mesmo...

Raquel Trindade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paloma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
palomabotelho disse...

Pior que é assim mesmo né?
Sou jornlaista e faz um ano que não consigo nada...pq não fiz Direito ou Engenharia?rsrs
Minha pílula diária é meu blog também!!
Acessem...Estuo no mesmo barco, apenas mais iludida que ele ainda...

Duda Rangel disse...

Camila, os efeitos colaterais são suportáveis.
Raquel, é só substituir o colesterol ruim pelo colesterol bom. Fica melhor.
Paloma, cedo ou tarde, a carreira deslancha. E continue com os devaneios em teu blog.
Beijos.

Celamar Maione disse...

Você é ótimo. Expressa o que é ser jornalista com perfeição.

Bj

Eliane Moreira disse...

Duda eu amo seus textos. Você está de parabéns! Alem de ler eu ainda mostro aos colegas de trabalho....É muita criatividade!!!Muito bom!

Soraya Leite disse...

A profissão de jornalista é tão bem vista que quando passei no Vestibular e meus tios ligaram para saber o resultado meu pai disse baixinho ao meu lado no telefone: diga que passou, mas não fala que foi para Jornalismo... kkkkkkkkkkkk

Duda Rangel disse...

Que dureza!

Ana Caroline disse...

Essa sou eu, que prestarei vestibular esse ano pra Jornalismo, rindo e rindo dos seus textos. E por mais que seja bem "desistível" ler coisas como "plantão no carnaval", teu blog é uma das coisas que mais me incentivam a querer ser jornalista. Viu só? Já arranjou mais concorrentes.