quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A matéria da sua vida


A repórter buscou ajuda até de Mãe Samantha, a cartomante. Não queria saber nada de futuros namorados, das coisas do coração. Só perguntava sobre a tal grande reportagem da sua vida. Qual seria? Quando seria?

Jornalista não nasceu só para cobrir o buraco na rua.

O jornalista persegue a matéria da sua vida assim como os Cavaleiros da Távola Redonda buscavam o Santo Graal. É o nosso cálice sagrado. Perfeição, prestígio, ascensão.

Há quem nunca consiga encontrar a matéria da sua vida. Sensação de morrer virgem.

A matéria da sua vida é diferenciada. Impactante. Dá notoriedade ao jornalista. Muitas vezes, é apenas fama passageira. Em outros casos, pode abrir portas, janelas, horizontes.

A matéria da sua vida pode ser uma denúncia de derrubar presidente. Ou o chefão da Polícia. Ou o padre pedófilo. Pode ser uma entrevista exclusiva, com o Fidel, ou com o serial killer da zona sul foragido há meses.

A busca pela matéria da sua vida exige reuniões de pauta mentais. Uma viagem interna. Longas reflexões, grandes sacadas. Exige também bom relacionamento com delegados, promotores, políticos e outras fontes influentes. As nada influentes são ainda melhores, como o tiozinho que faz a limpeza no Congresso e conhece histórias que ninguém conhece.

Tem gente que faz de tudo pela matéria da sua vida. Até consultar uma cartomante.

Mãe Samantha segurou as mãos suadas da repórter e, antes de decretar o destino da moça, pigarreou. A grande reportagem da sua vida, minha filha, ainda vai demorar um pouco. Você vai ter que ter paciência. Mas eu vejo um loiro alto e bonito em seu caminho. Serve?

9 comentários:

nat! alcantara disse...

Acho que dava pra aceitar o homem loiro, mas só se ele fosse rico ehuehueh mas riqueza e jornalismo não combinam nem quando o assunto são os detalhes...Adorei o texto como sempre...

Laís Fernanda Borges disse...

já me contentaria com o loiro, alto e bonito kkkkk

Cecilia Nery disse...

Olá Duda, bastante interessante a proposta do seu blog. Gostei, vou continuar seguindo. Como você, sou jornalista também, e sei das delícias e agruras da profissão.

yana disse...

Olá!!
Sigo acompanhando seus textos, que por sinal são fascinantes. Parabéns!!





www.daianavlopes.blogspot.com

Joselani disse...

Onde eu estava que ainda não conhecia seu blog? Só fui apresentada a ele hoje. Falha que estou corrigindo com atraso. Aliás, como sou nova no pedaço me dou o direito de perguntar: esse seu perfil é uma brincadeira, certo? Definitivamente, vocE não pode estar desempregado!
A propósito, também sou jornalista e achei ótima (e corretíssima) a paródia O que será, do Chico Buarque.

Gisa Carvalho disse...

Já marcarei minha visita à mãe Samantha!

Duda Rangel disse...

Nat, riqueza e jornalismo realmente não combinam.
Laís, já é alguma coisa, não é?
Cecilia e Joselani, companheiras de profissão, sejam muito bem-vindas ao blog!
Yana, valeu pelo carinho de sempre.
Gisa, mãe Samantha é igual comentarista econômico: erra muitas previsões, mas, de vez em quando, acerta alguma coisa...
Abraços!

Anônimo disse...

Olá, Duda Rangel. Meu nome é Daniel Zanella, sou editor de um jornal de crônicas chamado Relevo. Gostaria de saber se você tem interesse de publicar o texto dessa postagem.
Meu emeio é danielaugustozanella@hotmail.com. Caso tenha interesse, posso te enviar um PDF do projeto.
Abraços

Leandro Silva disse...

Muito bom! No começo, confesso, tinha certa resistência em relação aos seus textos. Mas foi impressionante: você ganhou minha atenção a cada texto que fazia. Hoje, claro, tenho que te seguir. Seus textos são interessantíssimos. Parabéns!