segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Slogans publicitários aplicados ao jornalismo


A primeira matéria a gente nunca esquece. (Valisère)

Jornalista é fresquinho porque trabalha em Cultura? Ou trabalha em Cultura porque é fresquinho? (Tostines)

Dúvida por quê? Plantão é sofrê. (Ypê)

Porque a pauta é agora. (Visa)

QI. É melhor... ter. (Bradesco Seguros)

Existem razões para acreditar: os jornalistas fodidos são maioria. (Coca-Cola)

Quem disse que não dá? Com carteirada dá! (Fininvest)

Pescoção, lugar de gente infeliz. (Pão de Açúcar)

O tempo passa, o tempo voa e a censura contra a imprensa continua numa boa. (Bamerindus)

A cerveja é a nossa energia. (Petrobras)

Faculdade de jornalismo: 1001 inutilidades. (Bombril)

Reclamo muito de tudo isso. (McDonald´s)

Apaixonados por boca-livre, como todo jabazeiro. (Postos Ipiranga)

Existem empresas de comunicação que o dinheiro não compra. Para todas as outras existe a matéria paga. (MasterCard)

Johnnie Reporter, keep working. (Johnnie Walker)

10 comentários:

Helen Fernanda disse...

Não faço a mínima ideia de qual foi a minha primeira matéria. Esqueci mesmo. o_O

Anônimo disse...

Hoje, um grande amigo me explicou o que nós, jornalistas, somos e sinto que posso dizer que cada ponto é verdadeiro:

Não passeia, viaja a trabalho;

Não conversa, entrevista;

Não faz lanche, almoça em horário incomum;

Não é chato, é crítico;

Não tem olheiras, tem marcas de guerra;

Não se confunde, perde a pauta;

Não se acha, ele já é reconhecido;

Não influencia, forma opinião;

Não conta história, reconstrói;

Não omite fatos, edita-os;

Não pensa em trabalho, vive o trabalho;

Não vai à festas, faz cobertura;

Não acha, tem opinião;

Não fofoca, transmite informações inúteis;

Não pára, pausa;

Não mente, equivoca-se;

Não chora, se emociona;

Não some, trabalha em off;

Não lê, busca informação;

Não traz novidade, dá furo de reportagem;

Não tem problema, tem situação;

Não tem muitos amigos, tem muitos contatos;

Não briga, debate;

Não usa carro, mas sim veículo da redação;

Não é esquecido, é eternizado pela crítica;

Não morre, coloca um ponto final.

Thiago Quirino - Jornalista de coração

Gabriel Garcia Martinão disse...

Sensacional! Hahahaha!
http://prosarcasmo.blogspot.com/

Karol Martini disse...

Adorei as comparações... mas, depois que viramos assessores de imprensa não vivemos mais essas emoções...rsrsrs

May Silva disse...

Faculdade de jornalismo, 1001 inutilidades? Por que?

Priscila Borges disse...

Existem empresas de comunicação que o dinheiro não compra?

Casa de Mãe joana disse...

May e Priscila, esqueçamos esses detalhes!!!! Próxima pergunta:

JD Matos disse...

Uma vez recebi um e-mail onde dizia que a vida de jornalista é igual a vida de prostituta:


VIDA DE JORNALISTA
1) Você trabalha em horários estranhos (que nem as putas!)
2) Te pagam pra fazer programas (que nem as putas!)
3) Seu trabalho sempre vai além do expediente ( que nem as putas!)
4) Você é recompensado por entreter e proporcionar prazer (que nem as putas!)
5) Seus amigos se distanciam de você, e você só anda com outros iguais a você ( que nem as putas!)
6) Seu patrão tem um lindo carro e você não (que nem as putas!)
7) Quando vai ao encontro do entrevistado, você tem de estar sempre apresentável ( que nem as putas!)
8) Mas ao final do expediente, parece saído do inferno (que nem as putas!)
9) Seu chefe quer sempre pagar menos e quer que você faça maravilhas ( que nem as putas!)
10) Você tem que fazer várias gravações por dia (que nem as putas!)
11) Todo dia, ao acordar, você diz: "NÃO VOU PASSAR O RESTO DA VIDA FAZENDO ISSO" ( que nem as putas!)
12) Se as coisas dão errado, é sempre culpa sua (que nem as putas!)
13) Apesar de tudo isso, você trabalha com prazer( que nem as putas)

Duda Rangel disse...

Muito grato pelos comentários. Anônimo e JD Matos, valeu pelas postagens! Abraços.

Lutero Melo disse...

20 tipos de jornalista sem noção

1. Tem um espaço de 10 linhas, mas escreve 30. E, depois, fica uma hora cortando o texto para caber.

2. Acha que sabe tudo e dá ordens até para um jornalista mais experiente.

3. Vai a uma pauta que exige traje social com a mesma calça jeans molambenta que usa na redação.

4. Enche a cara de prosecco e dá vexame no vernissage chique.

5. Fica parado ao lado do entrevistado bem na hora em que os fotógrafos querem fazer uma foto só do entrevistado.

6. Conta piadas aos colegas e ri alto na cobertura de velórios e enterros.

7. Atende o celular no meio de uma reportagem ao vivo na TV.

8. Pergunta ao editor sobre o plantão do sábado ainda na loucura do fechamento da terça.

9. Acredita que a matéria sobre “pressão cambial” deveria ser feita pelo pessoal do jornalismo automotivo.

10. Revela todos os podres dos colegas da redação, inclusive os seus, para os motoristas do jornal.

11. Faz uma matéria-denúncia contra o maior anunciante de sua revista.

12. Na véspera da folga, diz ao chefe que vai passar o fim de semana de bobeira em casa.

13. Começa uma entrevista de forma tão agressiva que faz o entrevistado desistir da conversa.

14. Quando vai fotografar um cego, dá a seguinte orientação: “Olhando pra janela azul agora”.

15. Liga para o celular do entrevistado no almoço de domingo para checar se o sobrenome dele é com um “L” ou dois.

16. Antes de fazer a pergunta na coletiva, demora 20 minutos contando experiências pessoais, fazendo análises de fatos, coisas que ninguém está a fim de ouvir.

17. Dá de presente de aniversário para a namorada um relógio e esquece de retirar da caixa o adesivo “brinde para a imprensa”.

18. Queima uma fonte superimportante por não ter sido capaz de guardar um off.

19. Esquece de ligar para casa para avisar a mulher que está voltando mais cedo do pescoção.

20. Mesmo com 20 anos de formado, ainda acredita que vai ficar rico com o Jornalismo.