segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ó, meu Deus, quantas escolhas!


A última pesquisa deste blog – Decidi ser jornalista porque... – foi encerrada com um empate técnico. As alternativas “Sempre odiei Matemática” e “Não saberia fazer outra coisa” tiveram, respectivamente, 35% e 33% dos votos. Em terceiro lugar, ficou a opção “Sabe que eu não sei?”, com 20%.

É realmente muito difícil chegar a uma conclusão confiável sobre o que leva uma pessoa a ser jornalista. Muitos escolhem tal caminho não por uma razão apenas, mas por várias razões ao mesmo tempo. Outros, como suspeitam psicanalistas renomados, são desprovidos de qualquer razão no momento da decisão. Enfim, trata-se de uma discussão polêmica e complexa. Nem Caetano, que sabe como ninguém ser objetivo e claro em um raciocínio, explicaria esta questão de uma forma simples.

* * *

Por várias vezes, de cabeça quente, pensei em abandonar o jornalismo e ser dono de uma franquia do McDonald’s. Como a lanchonete está sempre lotada, calculava ganhar uma puta grana. Depois, mais calmo e com o juízo recuperado, percebia que ainda tinha muito amor pela profissão, que valeria a pena tentar mais uma vez. E, além de tudo, nunca teria dinheiro para investir em uma franquia do McDonald’s.

Contei esta breve história só para lembrar que, de tempos em tempos, todos nós, jornalistas, mergulhamos em nossas crises profissionais. Será que estou no caminho certo? Será que ainda existe amor? Será melhor fazer terapia? Enfim, todos aqueles questionamentos que mais parecem os de um casamento em crise. O final da história pode ser feliz ou não.

A nova enquete trabalha com uma situação hipotética: que rumo você, meu caro amigo ou amiga, daria à sua vida caso decidisse abandonar o jornalismo de forma definitiva? As opções vão de uma jornada espiritual pela Índia a uma carreira artística na TV.

6 comentários:

The Ideas of a Vintage Doll disse...

Se isso aqui não der certo, me caso om um velho rico e começo a usar diamantes ai invés do cérebro! rsrsrs

Rosangela Florêncio disse...

Como dizia meu professor Juarez: "Jornalismo é o máximo!"... triste é quando temos que ceder aos interesses corporativos... jornalista feliz é jornalista livre (e pobre, claro!).
Faltou itens na pesquisa... eu mesma estou de vara no ombro tentando encontrar um rumo... mas, o FGTS não dá prá abrir um negócio!! rs :(
Adoro o blog!

BitterSweet disse...

Há! esses dias estava querendo largar o Jornalismo, e fazer Psicologia... mas após uma bela viagem... descobri que porra, eu quero ser jornalista, eu quero sofrer mesmo! e alem do mais, eu quero é reclamar, nao ouvir o problema dos outros! e viva ao Jornalismo \o/

Lanier Rosa disse...

"eu quero é reclamar, nao ouvir o problema dos outros! e viva ao Jornalismo" Vivi a mesma situação: Jornalismo X Psicologia. Mas a gente acaba sendo um pouco psicologo também. Agora, crise antes até mesmo de se formar, é valida? (rsrsrs)

Belinha_chan disse...

Ah, eu desde criança que eu decidi ser jornalista. Embora, adolescente, eu tenha ficado em dúvida, mesmo assim eu segui no jornalismo. Agora que sou universitária, não penso em trocar jornalismo por nada ^^

Eliana M. disse...

Não vou participar da enquete, pq minha opção é "vender coco na praia"! rs