sexta-feira, 22 de maio de 2009

O que eu ganho com isso?


A pauta começa cedo. Segue pela tarde. Muito trabalho. Pressão. Sem tempo para almoço. Apenas uma coxinha. Cheia de gordura. Correria. Uma entrevista aqui. Outra ali. Um puta calor. Entro no carro do jornal. Sem ar-condicionado. Trânsito caótico. Motorista xinga. Fotógrafo reclama. Fumaça. Buzinas. Motoboys. Olho para o relógio. Uma coletiva me espera. Será que chego? Vontade de ir ao banheiro. Número 1. Sem chances. Aperto. Lentidão. O tempo passa. Surgem os atalhos. Agora vai. Checo o endereço do hotel. Estamos perto. Fecha o farol. Caralho! Sempre nessas horas! Destampo a caneta. Tampo a caneta. Destampo de novo. A porra do farol não abre. Vendedores enchem o saco. Abre o farol. Arrumo minha roupa. Pego o bloquinho. Chegamos. Corro. Fila na porta. Credenciamento. Entro. Cansaço. Bafo de coxinha. Nem escovo os dentes. Coletiva atrasa. Passo no banheiro. Alívio. Tiro uma salsinha dos dentes. Com o dedo. Volto pro auditório. Repórteres armados. Fotógrafos brigam por espaço. Barulho. Pedidos de silêncio. Tudo pronto. Perguntas. Respostas. Réplicas. Tréplicas. Intromissões. Discussões. Todos querem falar. Que zona! Questiono. Anoto. Reflito. Fim de papo. Vôo pro carro. Pressa. Mais trânsito. Mais fumaça. Mais buzinas. Mais motoboys. O tempo é curto. Pego o bloquinho. Rascunho o lead. Letra horrível. Penso na matéria. Mordo os lábios. Vontade de ir ao banheiro. Número 2. Aperto. Que bosta! Logo agora! Boca seca. Pressa. O farol fecha. Mais vendedores. Limpadores de vidro. Espera. Olho para o relógio. O farol abre. O motorista corre. Falta pouco. Chego ao jornal. Corro. Fila no elevador. Caralho! Espero. Entro. Aperto. Solto um peido. Disfarço. Subo. Desço. Corro. A redação está cheia. Fechamento. O tempo é ainda mais curto. Terei muito espaço? Terei pouco espaço? Tensão. Corro de novo. Tropeço. Paro. Vejo meu editor.

– Duda, relaxa, tua pauta caiu.

40 comentários:

smackpot disse...

correria...

Flávia Romanelli disse...

Ufa, fiquei até cansada no final! O pior é que só avisam que a matéria caiu quando vc chega na redação, custa ligar antes pra poupar o trabalho? Imagina...

Diógenes de Souza disse...

Deus me defenda!

Pabline Felix disse...

Também tô no time do "Isola!"... mas senti inveja dessa pressão. Um dia vai chegar. =)

The Ideas of a Vintage Doll disse...

Vou ao banheiro, chuto a porta. Volto. Chuto o chefe. Subo na mesa e grito um sonoro "Vai se foder". O despertador toca...

Fernanda Brescia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Brescia disse...

Não senti inveja nenhuma, como vc, Pabla, mas sei que é isso que nos aguarda....ê vidão! :D

Ótimo texto, Duda! (Ótimos, aliás! T-o-d-o-s!:)

AH! E quando eu crescer quero ser como vc, do "The Ideas of a Vintage Soll"..hahaha! o/

OBS: Eu e Pabline estudamos Jornalismo (Comunicação social) juntas na UFMG, por isso a intimidade...rs :)))

AH! E nós já espalhamos seu blog para as redondezas! Superlido!

betasimon disse...

Duda!! qto tempo! Parabéns pelo teu blog, tá ótimo.
Beijocas e continue transcrevendo teu imaginário do real, tá gostoso e divertido!!

Anônimo disse...

Gostei muito da parte que diz: "solto um peido"!

BitterSweet disse...

Como sempre... este nerd (você claro) muito sortudo heehhe e peidorrero! pq quando tem a palavra peido todos riem? bem, eu ri.

Rosangela Florêncio disse...

...pois é! E as faculdades ainda continuam cheias de candidatos! rs
Vai ser jornalista!!!

Van disse...

adoro ler seu blog! bom demais ...
to com medo de me formar em jornalismo hein.... hahahahha

Hermógenes disse...

Rapaz, não entro no mérito se você escreve bem, se é criativo, se usa muito a palavra peido... Mas uma coisa devo salientar: tu atrai muita gatinha pro teu blog. Parabéns!

Ricardo Muza disse...

Pelo menos vc nao fez o numero 2 nas calças

Mônica Pinheiro disse...

Se fosse eu, era o fim do aperto. Número 2 nas calças mesmo...

mas brincadeiras à parte...todas as vezes em que isso me aconteceu o resultado era esse: muito ódio; sentimento de desvalorização e principalmente vontade de soltar um sonoro puta que pariu...

vocÊ : sucesso como sempre...abraços

Duda Rangel disse...

Olá, meus amigos e amigas!
O meu muito obrigado pela solidariedade, pela compaixão e pelas mensagens carinhosas de sempre. Vintage Doll, ótima sua continuação do post! Hermógenes, essas minhas leitoras são realmente muito bonitas e inteligentíssimas. A vida, às vezes, é legal comigo.
Beijos e abraços a todos

Derla disse...

Caramba sempre vivo dias assim. q raiva! Mas, eu não peido!

Ana Lima disse...

hahahaha, muito bom! Imagino como seria isso incluindo pauta sobre enchentes. :)

o seu blog é muito bom, parabéns!

Hidaiana Rosa disse...

Nossaaa que raiva caraaa! ^^ Depois de tanto sufoco e desafios: Relaxa, a pauta caiu!

Ótimo texto!

Isadora Marinho disse...

Foi meu dia a dia por muuuuito tempo... Ok, nem tanto, mas pelo menos por 1 ano e meio.
Hoje em dia estou num emprego mais calmo, não faço rua e sabe qual a verdade?
Sinto falta disso aí.

Viviane Oliveira disse...

Excelente e divertido Duda...rs
Narrativa perfeita. O peido podia ter deixado para sala do chefe, quando recebeu a notícia...

Beijão e parabéns!

Duda Rangel disse...

Oi, Isadora. Também sinto falta da reportagem na rua. Mas, no meu caso, não estou num emprego mais calmo; estou desempregado mesmo!
Viviane, eu até pensei em segurar o peido para a sala do chefe, mas não consegui. Beijos!

noemi disse...

Duda, sou repórter de TV e sempre que chego estressada depois de tanto corre-corre na rua leio os seus posts pra relaxar...são demais!

É exatamente assim que funciona...

Bj!

Alexandre disse...

Duda, vc é fera. Rachei de rir aqui. Aliás, ri pra não chorar, né?

Estou a poucos meses de concluir o curso de jornalismo. Até hj me criticam por eu ter escolhido seguir essa profissão. E o que mais me aborrece é que as criticam tem fundamento. Mas, fazer o que? Gosto de jornalismo. ;)

Sucesso, abraço

Duda Rangel disse...

Noemi e Alexandre, a realidade é de chorar, mas, como chorar não mudará a coisa, então vamos rir. E fazer o que gostamos. Obrigado pelas mensagens!
Abraços do Duda

Mateus disse...

Exatamente. O negócio é rir pra não chorar! haha

Camila Sol disse...

essa é a emoção de ser jornalista. se não acontecer isso perde a graça da profissão.
adorei...

Duda Rangel disse...

Verdades verdadeiras, Mateus e Camila. Abraços.

Samir disse...

Morri de rir aqui na redação. Me identifiquei muito e identifiquei vários "colegas" (odeio esse termo) também.
Quero saber quando é que vai sair um livro com todos os textos, hein?
Abraço!

Duda Rangel disse...

Oi, Samir, começo do ano que vem sai. Prometo! Abração.

Jéssica G3 disse...

Todos passamos por isso! Adoro rsrsrs quer dizer, da vontade de mandar o editor de foder, mas é isso aí ^^

Alessandra Sabbag disse...

Muito bom! Ótimo texto! Faz a gente sentir a pressão, a correria e a raiva. Ainda estou longe disso, começando a vida, mas um dia chego lá (espero) rsrsrs. Adorei o blog! Vc é o máximo! Abs

Jones Santos disse...

faltou dizer que isso se repete tres vezes por dia. rsrsrs

Aline Nascimento disse...

O peido fez mais sucesso que o repórter, pelo menos nesse post!

Thiago Quirino disse...

Esse foi o melhor post que já li até hoje. Parabéns Duda. Esse seu blog é nossa biografia!

Duda Rangel disse...

Jéssica, Alessandra, Jones, Aline e Thiago, é emocionante a vida de repórter, não é? Aquele abraço, pessoal.

Ellyka disse...

Estava almoçando quando vi o post. Parei de comer, li o texto no ritmo, e no final, soltei um grande PUTA QUE PARIU!!!

Fernando Dias disse...

haahha uma das mais engraçadas. Isso que é abusar das frases curtas...

Anônimo disse...

Repórter merece.... se tivesse ouvido os conselhos da mãee feito Direito ou Nutrição, não teria do que reclamar....

Duda Rangel disse...

Concordo, Anônimo, repórter reclama demais!
Fernando, valeu, rapaz.