segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A inveja é uma merda


Os amigos, inseparáveis nos tempos do colégio, tomam rumos distintos quando chegam à faculdade. O mais descolado vai estudar jornalismo; o mais nerd, engenharia. O primeiro troca as aulas sobre a Escola de Frankfurt e outras teorias pela cervejada, o truco e o baseado. Vive rodeado de meninas. O segundo dedica noites de sábado a estudar fórmulas e cálculos. O primeiro não perde a oportunidade de sacanear o segundo.

– Que vida chata você tem, hein? Não tem mulher naquela sua faculdade? Só macho? Devia ter estudado jornalismo.

O tempo passa e os velhos amigos estão formados. Num reencontro da turma do colégio, o jovem jornalista lamenta que ganha um salário de merda. Rala, rala e ganha um salário de merda. O jovem engenheiro, trainee numa multinacional, revela que recebe um valor quatro vezes maior. E mais: passará um ano na Suécia, sede da empresa, fazendo um curso de especialização que lhe garantirá uma ascensão ainda mais rápida.

– E o melhor são as minhas colegas de curso, todas mulheres, engenheiras suecas, umas loiras bem gostosas. Ai, que vida chata!

O jovem jornalista busca então uma saída estratégica. Pela direita.

A recém-concluída pesquisa deste blog – O que mais faz sofrer um jovem jornalista em seu emprego? – apontou como vitoriosa a alternativa “Ver o amigo engenheiro ganhar um puta salário como trainne numa multinacional”, com 38% dos votos.

A próxima pesquisa quer saber qual o trabalho de maior risco a que pode estar exposto um jornalista. Quem assusta mais: um terrorista árabe, um deputado ou o Ricardão? Votem!

PS: Ainda em relação ao fato de o jornalista ganhar mal em início de carreira, apenas uma ressalva: com o tempo, as coisas mudam. E ele passará a ganhar muito mal.

2 comentários:

Ewerton Martins Ribeiro disse...

"Trabalhar até tarde e deixar sua mulher sozinha em casa". Com certeza. Sabemos bem disso, né, meu amigo? Rs.

Anônimo disse...

Ganhar muito mal?
Isso se ganhar, né?