sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Dicas básicas para um foca não morrer na praia


Cuidado com o deslumbramento. Controle a vaidade. Não é por você ter assinado uma matéria e andar no carro da reportagem que poderá empinar o nariz e ficar com ar blasé por aí. É preciso ralar muito para reivindicar o direito de se achar o “fodão”.

Numa pauta, nunca tente dar ordens ou orientar o trabalho de um fotógrafo experiente. Cada um faz a sua parte. Ou você corre o risco de ouvir algo do tipo: “Sabia que quando você ainda se borrava todo nas fraldas, eu já trabalhava na imprensa?”.

Não fique enchendo o saco do editor com perguntas a toda hora. Saiba que ele é um jornalista ocupadíssimo, apesar de gastar um bom tempo contando piadas pelos corredores e brigando com a mulher no telefone. Evite um esporro em público. É o maior mico.

Não fique sacaneando os colegas mais velhos por ainda usarem aquelas jurássicas agendas de telefone e sofrerem para aprender a mexer nos novos modelos eletrônicos. Amanhã, você poderá precisar de algum contato importante deles.

Foca precisa ser sempre prestativo. Os editores adoram jovens disponíveis para serviços extras, como pegar um cafezinho e ir à lotérica ao lado da redação fazer uma fé na Mega-Sena para eles. São experiências que não se aprendem na faculdade.

Não faça biquinho por ter de redigir notas de pé de página. O foca tem pouco espaço mesmo. Nunca recuse uma pauta de seu chefe, por mais esdrúxula que seja. Caso contrário, você estará condenado a servir cafezinho e ir à lotérica por um bom tempo.

Dúvidas são normais no início da carreira, como descobrir o melhor enfoque a dar para um texto. Errar faz parte da vida. Tudo isso é importante para a evolução do jornalista. Só não faça a besteira de colocar o lead no pé da matéria. Por favor.

Se até os jornalistas mais velhos não são os maiores sábios, o que dizer de um jovem? Não diga que você é expert em economia só por saber quanto se paga de juros no cheque especial ou em cinema expressionista alemão só por ter visto Nosferatu.

Atenção para o excesso de ilusões. Não ache que você vai viver num mundo de glamour e ficar rico agora que já é um jornalista e arranjou emprego. Quando você resolver morar sozinho e bancar todas as contas com o seu salário entenderá o que estou dizendo.

14 comentários:

Paulo Sales disse...

Este blog é genial. Todos os posts, sem exceção, são maravilhosos.
Parabéns.

Isadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isadora disse...

E como boa foca que sou, seguirei minuciosamente muitos desses passos para que não existam decepções com a profissão. Genial o blog! Parabéns.

Mariana Serafini disse...

hahahaha, obrigada pelas dicas!

agora eu nao me afogarei na praia!

hsushsushushsushs

Valeu Duda!

Tarcísio disse...

Sinceridade? Daria meu mundo para poder ter a experiência de ser uma grande e gorda foca em uma redação. Mesmo que fosse por um dia.

Fausto Salvadori disse...

Eu daria mais duas dicas: duvidem das dicas que ouvem (inclusive essa). A outra: tenham DIGNIDADE. Façam o trabalho para o qual são pagos, mas não vão além disso. Pegar café para editor? Isso é puxassaquismo. Profissionalismo é outra coisa.

Duda Rangel disse...

Paulo, obrigado pelas palavras carinhosas.
Isadora e Mariana, depois vocês me contam se estas dicas funcionam mesmo na prática, OK?
Tarcísio, todos os jornalistas terão o seu dia de foca grande e gorda. Mais cedo ou mais tarde.
Fausto, concordo que puxassaquismo é bem diferente de profissionalismo. Como diria Leão Lobo, nosso colega de profissão: Dignidade já!
Abraços.

Josy Caetano disse...

Caramba!!! Não conhecia esse blog!
Uma amiga me indicou e to adorando!
Esse post dos focas ta demais!!!!
Dá vontade encaminhar pra um monte de gente!!! hahaha
Muito bom!
Virei fã!!!

Duda Rangel disse...

Valeu, Josy. Bem-vinda ao blog! Beijos.

Guilherme disse...

Duda, falou tudo. Apesar de ser um foca, fico extremamente constrangido quando vejo outro novato se achando a última bolacha do pacote ou a foquinha metida a besta porque é gostosinha.

Elisandra Amancio disse...

Duda, sei que muita gente diz isso, mas... Você é genial. Quando sair seu livro? Me comprometo em ajudá-lo a lançar em Belo Horizonte.

Esta é a segunda noite que passo lendo seus posts mais antigos. Tenho muito o que aprender contigo! Espero ter o prazer de conhecê-lo pessoalmente em breve.

Grande abraço.

Duda Rangel disse...

É, Guilherme, um dia essas pessoas caem na real.
Elisandra, obrigado pelo carinho. O livro deve sair no começo do ano que vem. Conto com teu apoio em BH. Os leitores mineiros sempre foram muito generosos comigo!
Abraços.

Ju Faria disse...

Conselhos mto válidos, pra Foca que sou, me dar bem.

Adorei o texto. Parabéns!

Duda Rangel disse...

Valeu, Ju. Beijo.