segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um anúncio de emprego supersincero


Cargo: Jornalista faz-tudo.

Exigências:

Agilidade para trabalhar por três jornalistas com o salário de um.
Importante não ter vida social.
Experiência em apuração jornalística pelo Google.
Facilidade de relacionamento com assessor de imprensa chato.
Suportar a dureza diária sem reclamar o tempo todo é diferencial.
Imprescindível ter estômago resistente às porcarias da padoca.
Equilíbrio para lidar com frustrações.
Bons conhecimentos de sobrevivência em redação.
Diploma de jornalista é interessante. Se não tiver, foda-se.

Benefícios:

Crachá para dar carteirada em eventos esportivos e culturais.
Oportunidade de ir a pautas com boca-livre e jabás.
Tapinha nas costas (se exceder as metas).

Salário: Incompatível com o mercado e seus gastos pessoais.

32 comentários:

Júlia Ourique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júlia Ourique disse...

Se ao menos um anúncio sincero eu achasse... nem sincero e nem mentiroso se encontra, vaga de jornalismo por aqui é mais dificil de encontrar do que traços humanos em Dilma.

Ronise Vilela disse...

E caso seja assessor de imprensa, ter paciência para aturar repórter mala sem alça, que se acha!

Anônimo disse...

Será que muitos jornalistas não são sinceros porque quando os contratam não são sinceros? É fresquinho pq vende mais ou vende mais pq é fresquinho? Jornalista é fresquinho? Jornalista vende mais? Panco é jornalista? Pândego é o jornalista!

Silvana Chaves disse...

É, as vagas resolveram desaparecer nos últimos meses... A coisa está tão preta que nem pra esses jornalistas têm aparecido vagas...
Tá fogo! rsrs
Beijão Duda, parabéns pelo texto!

Marcelo de Andrade (Mandrade) disse...

Parabéns pelo blog, Duda. Fica o convite para visitar o meu. Chama-se É Triste Viver de Humor (http://etristeviverdehumor.blogspot.com), pois só há uma profissão mais mal paga do que jornalista: o jornalista cartunista.

Um abraço,

Marcelo de Andrade (Mandrade)
@marcelocartum

Camila Sol disse...

Como estudante de jornalismo: adorei!
Só espero encontrar uma realidade diferente pra mim. rs

Amanda disse...

Ô, Duda. Nós, assessores de imprensa, não somos chatos pq queremos. Nós precisamos disso para ganhar o nosso suado dinheirinho, hehe. E ainda não desfrutamos dos benefícios da carteirada e das pautas com comes e bebes. Afinal de contas, ficamos o dia todo na frente de um computador e com um telefone do lado pentelhando nossos amigos da redação. Você está na vantagem!!!
Parabéns pelos textos. Abraços.

thayspetters.blogspot.com disse...

Morri! #supersincero!hauhauaa

Maressa Omena disse...

"Jornalista faz-tudo" é pleonasmo

Anônimo disse...

se for repórter de tv, adicione a tudo isso a convivência torturante com cinegrafistas...

Duda Rangel disse...

É, minha gente, a coisa não tá fácil. Não me contratam nem para montar um dossiezinho por aí.
Ronise e Amanda, profissionais chatos existem mesmo dos dois lados do balcão, sejam assessores, sejam jornalistas de redação.
Marcelo, visitarei teu blog, sim, para conhecer as agruras da vida de um cartunista.
Obrigado pelas mensagens de todos!
Abraços.

Matheus Farizatto disse...

Salve, Duda!

Não sei COMO eu ainda não conhecia o "Desilusões perdidas"! Me sinto mal por isso...

Gostei demais. Estarei sempre por aqui. Sou o mais novo seguidor!

Grande abraço e sucesso em nossa(s) jornada(s)! hehehe

M.enal.i disse...

O pior de tuuudoo é que a fila pra vaga tá enormeeeeee...
Tem gente se mantando pra vagas assim...rs

Beijosss, adorei seu lugar!

@gabrielkdt disse...

HAHAAHAHAH EXATAMENTE ISSO

Duda Rangel disse...

Bem-vindo ao blog, Matheus. Sucesso pra ti também.
M.enal.i, o pior é que você tem razão. A fila tá enorme. Volte sempre!
Gabriel, é uma dureza, rapaz.
Abraços.

Raquel Trindade disse...

vida de jornalista é dureza mesmo, bolso vazio "sempre", boca livre é imprensidivel...
muito bom.

Guedes Comunicação disse...

Fantástico texto, Duda. Infelizmente também muito real. Jornalista não tem vida e nem dinheiro no bolso

Duda Rangel disse...

Raquel, um salve à boca-livre!
Guedes, a realidade é, infelizmente, cruel.
Abraços.

marifreica disse...

A cada postagem sua eu vejo que foi até bom não ter seguido a profissão. Me formei em Jornalismo, mas trabalho como revisora e tradutora.

Everton do N. Siqueira disse...

Muito bom cara!Como sempre ...

edneiamota disse...

Apesar de tudo, ainda há muita gente boa entrando no mercado. O principal desafio é tentar fugir da tentação do Google e dos releases prontos. Mas né, o importante é a boca-livre: compensa tudo ;)! Anúncio legal, btw.

Graziele Lopes disse...

Vou deixar meu diploma de jornalista e fazer Sistema de Informações. Tudo na mesma área mesmo...

margaridaetc disse...

É foda isso dai. Trabalhei em uma agência que eu era fotógrafa, repórter, se pá até dava uma de tia da limpeza. Hora extra direto, finais de semana em casa trabalhando, sem ganhar nada a mais por isso. Um belo dia sou demitida tipo: "Estamos te dispensando, mas não fica triste. Pega aqui essa caneta da empresa". Profissão ingrata.

Anônimo disse...

"Diploma de jornalista é interessante. Se não tiver, foda-se".

Hilário! Pior que é tudo verdade mesmo (pelo menos no meu caso, que já tenho algum tempo de estrada tb e já parei de me "deslumbrar" de ficar sem dinheiro no bolso, só com o status da profissão kkk).
O texto é brilhante, mas vc se esqueceu de incluir que o candidato à vaga tb tem que ser, obrigatoriamente, masoquista, pois, assim como vc, continuo até hj nesse círculo vicioso rs. Bjs.

Duda Rangel disse...

marifreica, de qualquer forma, você segue trabalhando com as palavras.
Everton, valeu, rapaz!
edneiamota, tem muita gente boa, sim. Até mais do que vagas.
Graziele, o importante é fazer o que você gosta.
margaridaetc, pense pelo lado positivo: você não saiu de mãos vazias; saiu com uma caneta da empresa.
Anônimo, ser masoquista é uma "qualidade" importante hoje em dia. Merece destaque no CV.
Abraços.

The Ideas of a Vintage Doll disse...

Lembra quando decidiram transformar o diploma de jornalista em papel higiênico e graciosamente disseram que jornalista de cozinheiros eram a mesma coisa? Então... troquei seia por meia dúzia!

Duda Rangel disse...

Oi, Bruna, saudades de ter ver no blog. Valeu pela visita. E sucesso na nova carreira. Volte pra contar as novidades. Beijão.

Claris Simão disse...

Por diabos eu demorei a descobrir esse blog??? Perfeito!

Na verdade, na maioria das vezes eu não sei se rio ou se choro...hehehe

De qlq forma, parabens! Excelente trabalho!

Beijos!

Duda Rangel disse...

Oi, Claris. Na dúvida, eu sugiro rir. Obrigado pelas palavras. Beijos.

minhaarea disse...

Aloha, amigos!!! Façam de mais um blog muito bacana um de seus favoritos!!! www.minhaarea.wordpress.com também é muito legal! Pra quem procura empretos & afins em comunicação.

Anônimo disse...

Na boa, tirando os benefícios não tem nada de diferente das outras carreiras na inicativa privada.

Ps.: TURISMO e JORNALISMO tem um diferencial, os diplomas não são reconhecidos...