sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Dia do professor (de jornalismo)


Em homenagem ao dia do professor, em especial ao de jornalismo, republico trechos de um antigo post sobre a arte (ou não, como diria Caetano) de ensinar a profissão.

Desempregado, já pensei em fazer cada coisa pra sobreviver que fico até constrangido em revelar aqui, neste blog quase decente, quase de família. Entre as idéias publicáveis, dar aulas de jornalismo foi uma delas. Seria um bom professor? Ou prestaria um grande desserviço ao ensino superior brasileiro? Em minhas divagações, rolou até um embate entre um Duda que quer muito ser professor e um Duda que deseja passar longe das salas de aula.

Duda que quer ser professor: O lance é dar aula, cara! Imagine a grande oportunidade que a gente teria de transmitir conhecimento aos jovens. Isso é o que vale a pena na vida!

Duda que não quer: Mas como? Numa sala de 80 alunos? Não vão nem ouvir a gente!

Duda que quer: Se metade ouvir já está ótimo. Você não percebe a nobreza da missão?

Duda que não quer: Metade vai ficar ouvindo música num iPod durante a nossa aula! E a outra metade, sei lá...

Duda que quer: Tá bom. Então esquece o lance nobre da coisa e sejamos práticos. Há quanto tempo as contas da luz e da água estão atrasadas? E o aluguel?

Duda que não quer: Você acha que a gente vai ganhar muito dinheiro como professor? Pagam uma miséria! Pior que redação. E a gente também nem tem mestrado.

Duda que quer: Tem um monte de faculdade que não exige mestrado. Até preferem, sabia?

Duda que não quer: A gente não vai dar aula e ponto final. A verdade é que a gente não gosta disso.

Duda que quer: Você não gosta. Fale por você!

Duda que não quer: Tá bom, tá bom. EU NÃO GOSTO.

Instantes de silêncio...

Duda que quer: E as menininhas? Nem por elas? Já imaginou quantas, daquelas bem gostosas, assistiriam às nossas aulas, loucas por aprender jornalismo, loucas por sei lá mais o quê?

Duda que não quer: (riso) Meu Deus, estamos velhos!

Duda que quer: Velho é você! Velho e viado!

10 comentários:

Ana Beatriz Camargo disse...

Como aluninha de jornalismo, foca - admito - eu protesto! Quero Duda como professor de jornalismo! Agora, se for na nossa querida PUC-SP, não recomendo, senão é suicídio na certa, my friend. Rsrs.

katherine funke disse...

adorei.

Maria Fernanda Ribeiro disse...

Poxa, Duda. Eu também queria muito ser professora, mas como dispenso os menininhos, acho que vou ficar na redação mesmo. Obrigada por me mostrar a realidade!!!! rs

A viajante disse...

Ao Duda que quer: vc poderia ser um excelente professor. Ao menos trataria do contexto social, e econômico aos futuros jornalistas. Uma pena, o Duda que não quer...nunca estaremos em reunião pedagógica, discutindo os rumos da educação):

Duda Rangel disse...

Oi, Ana Beatriz. A PUC-SP é tão ruim assim?...rs
Valeu, Katherine.
Maria Fernanda, vida longa na redação!
Viajante, ainda não me decidi. Tenho a sensação de que estou mais para prestar um desserviço à educação do que cumprir uma nobre missão.
Beijos!

Filipe disse...

80 pessoas?

Na minha sala não chegou nem em 30, e se formaram apenas seis.

Duda Rangel disse...

Filipe, são realmente poucos os que sobrevivem. Abraço.

Luan disse...

Duda Rangel como professor de Jornalismo já! E, se possível, na Universidade Feevale de Novo Hamburgo-RS

Bel disse...

Ao Duda que quer:
Depois de entregar as notas de uma prova onde NINGUÉM tirou mais de 7,0 receber mensagens carinhosas de reconhecimento é um momento Mastercard.

Duda Rangel disse...

É isso mesmo, Bel.
Luan, não sei se eu seria um bom professor. Mas quem sabe um dia eu ainda conheça a Universidade Feevale de Novo Hamburgo?
Abraços.