sexta-feira, 29 de abril de 2011

Quem?


O jornalista desinformado chega ao bolo de repórteres em volta do entrevistado. Atrasado. Não fala nada. Apenas estica a mão com o gravador. Finge escutar as respostas. Franze a testa. Faz cara de conteúdo. Cochicha no ouvido do colega ao lado: “qual o nome dele mesmo?”. Volta a ouvir as palavras do entrevistado, que apenas passeiam por sua mente, flutuam. Ameaça fazer uma pergunta: “mas, senador, senador...” quando é interrompido por um repórter mais rápido, que faz a pergunta, para a alegria do jornalista desinformado. Troca o gravador de mão. Mantém a cara de conteúdo. Cochicha no ouvido de outro colega: “de que partido ele é mesmo?”. Pensa na festa de logo mais, pensa que vai encontrar a Mariana, do suplemento cultural. Um fotógrafo pisa no seu pé. Ele nem percebe. Esboça nova intenção de fazer uma pergunta, pergunta importante, claro, de impressionar a todos, mas outro repórter o interrompe. Simula ficar nervoso, como se a ele não fosse concedido o democrático direito de expressão. Troca o gravador de mão novamente. Olha para o relógio. Pensa que a Mariana está solteira. Sorri. Sorri ainda mais com o fim da entrevista. Recolhe o gravador. Suspira. Aproxima-se de outro repórter: “o senador falou de reforma política ou tributária?”. Fica assustado com a resposta grosseira, aperta as sobrancelhas, mas insiste na busca da informação: “reforma agrária?”.

20 comentários:

Anônimo disse...

Jornalista é um grande improvisador, muitas vezes. Ótimo post, Duda.
Abraços,
Bernardo Barata

Ailime disse...

Muito bom! Afinal de contas é especialidade do jornalista falar sobre assuntos que não entedemos...

Gutto disse...

Pensa que a Mariana está solteira e sorri...Me identifiquei..hahaha

Show de Bola Duda!

Luciana Martinez disse...

rsrsrsrs... tive que rir!
Vc é ótimoooo! Bj

fabby disse...

pelo salário que recebe e pelas condições de trabalho, o jornalista tem mais mais é que pensar na mariana mesmo. talvez ela dê um pouco de alegria para a vida dele.

Murillo disse...

Uma pena que isso seja verdade e aconteça com tanta frequência. Mas seu texto tá ótimo. Parabéns. ^^

Mariana Serafini disse...

óóóuunn sou a Mariana! ^^

Anônimo disse...

Hehe.. adorei o post... isso ja aconteceu comigo, varias vezes, e faço as mesmas caras. Já esta nos meus favoritos. Felicidades

Anônimo disse...

Hehe.. adorei o post... isso ja aconteceu comigo, varias vezes, e faço as mesmas caras. Já esta nos meus favoritos. Felicidades

Anônimo disse...

Me senti homenageada! Sou eu a Mariana, do suplemento cultural. haha
Muito bom!

Anônimo disse...

Tenho que admitir. Já fiz isso. Hoje, não mais.

Abraço,

Mauro Camargo
Caxias do Sul

TPM disse...

Adorei!!!!!!!!!!

Lívia disse...

hauahuahau

Vc é demais!

Lívia disse...

hauahuahau

Vc é demais!

Jo Artro disse...

Cabe crase nesta frase que está na apresentação de seu blog?

"Sua vida era tão alegre e vibrante quanto à dos protagonistas de filmes iranianos."

Abraço

Anônimo disse...

HAHAHAHAAA!!

Duda Rangel disse...

Como bem destacou o Murillo, jornalistas desinformados e perdidões existem aos montes por aí. Abraços a todos. E beijos especiais para as Marianas.

wd disse...

Oi Convido você a conhecer o meu blog de memorias de um jornalista. abraço.

lleomodesto disse...

Ao mesmo tempo real e brilhante, ótimo post,rsrss.Parabéns.

Jornalista Alini Fuloni MTb. 54631 disse...

"Cara de conteúdo" kkkkkkkk

Essa é a melhor!