quarta-feira, 29 de abril de 2009

A culpa dos outros


O ser humano, dono de uma capacidade infinita de fazer merdas, de forma consciente ou não, aprendeu que a melhor defesa é sempre colocar a culpa nos outros. Você nunca está errado no trânsito, o casamento é arruinado pelo parceiro, o treinador é quem não sabe escalar o time. O sujeito solta um peido e, imediatamente, olha para o lado com ar indignado, procurando o responsável por tamanha indelicadeza.

Lendo o noticiário dos últimos dias, fiquei com a certeza de que tem coisa pior do que uma iminente pandemia de gripe suína. O quê, por exemplo? Gente como o Ciro Gomes, o maior humorista do Ceará de todos os tempos, e o Michel Temer, um dos líderes do PMDB (Partido do Me Dei Bem). Não agüento mais ver estes nobres deputados defenderem, com aquela cara de quem peidou e olhou para o lado, seus coleguinhas em escândalos e mais escândalos. E, naturalmente, a culpa de toda essa lama sobrou para nós, jornalistas.

Será que essa gente nobre nunca terá um pouco de vergonha na cara? Vai sempre querer intimidar os jornalistas e acabar com o nosso legítimo direito e dever de denunciar toda a picaretagem que há anos, décadas, faz parte da cultura do Congresso? Se a imprensa adora fazer o papel de abutre a rondar a carniça, como muitos dizem com razão, por que não assumir logo a podridão e tratar de moralizar a coisa?

Os jogadores de futebol, por sua vez, culpam os jornalistas pela falta de privacidade, mas não têm o menor cuidado ou pudor ao andar por aí com travecos ou com a Mulher-Picanha. Muitos artistas culpam os críticos, mas esquecem que seu ego é maior do que o seu talento. Daqui a pouco seremos os responsáveis por todas as mazelas da humanidade, os novos mordomos.

4 comentários:

BitterSweet disse...

"Novos mordomos", sim caro Duda também me parece que tudo tem sido culpa dos jornalistas, pq os pobresinhos não fizeram nada por mal, foi um certo jornalista que o influenciou a fazer tal "imoralidade". E isso não se estende somente ao ramo profissional, a partir do momento que você é tido como jornalista na sociedade todos começam a desconfiar de quem matou o ricaço, não foi o mordomo, e sim, o sempre curioso jornalista... a curiosidade sempre tem matado o gato, mas quem sabe agora seja a vez do jornalista também pagar por tão alta curiosidade.

The Ideas of a Vintage Doll disse...

Acho inclusive que fomos nós que afundamos o Titanic... certeza!

Ricardo Muza disse...

O grande problema é que o cidadão comum assiste, ouve ou lê o que os jornalistas, contam; sentem-se indignados, xingam e pensam ter feito a sua parte.
Talvez tenhamos que repensar a tal isenção, pq tá cansando, de verdade.

Ewerton Martins Ribeiro disse...

O que acontece no congresso (com minúscula, pois não merece a maiúscula) dá mesmo asco.