sexta-feira, 24 de abril de 2009

O que a faculdade não ensina


Enquanto perdemos tempo com o blablablá sobre a obrigatoriedade (ou não) do diploma, uma outra questão, até mais importante, fica em segundo plano: a péssima qualidade dos cursos de Jornalismo. Por isso, deixo aqui sugestões de algumas disciplinas, com seus temas de estudo, que poderiam ajudar os jovens coleguinhas a enfrentar, de maneira menos dolorosa, a realidade de nossa profissão.

Jornalismo Contemporâneo: Questões de Sobrevivência

– Aprenda a ser ágil em uma redação cada vez mais enxuta: a arte de escrever três matérias ao mesmo tempo.
– É possível decolar na carreira tendo um péssimo texto? A estratégia de dar para o chefe ainda funciona?
– O desafio de trabalhar pra caralho e sem folga, e ter uma vida saudável.
– Regras básicas para se tornar um assessor de imprensa eficiente e feliz, mesmo odiando este tipo de trabalho.

Teoria Geral da Economia para Enforcados

– Como fazer o seu mísero salário render até o fim do mês.
– Complementando a renda: fazer frila ou vender o corpinho? Os prós e contras de cada opção.
– Evite gastos desnecessários: a arte de decorar sua casa apenas com jabás.
– Plano de carreira na redação: mito ou realidade?

Psicologia Aplicada à Desgraça Cotidiana

– Nunca serei um fodão da TV: a melhor maneira de lidar com as frustrações.
– Como tomar uma porrada de furos da concorrência e não se sentir um merda.
– Maximizando a força interior: sou um fracassado, mas não cometi suicídio.
– Não deixe a sensação de poder subir à cabeça: a famosa frase "sabe com quem você está falando?" é uma grande bobagem.

Sociologia do Caos na Pós-Modernidade

– A arte de trabalhar em hard news e ver o crescimento dos filhos (se tiver tempo de fazê-los).
– Os plantões e a cornitude: estudos de caso.
– Como ter vida social fora da redação, sem precisar interagir apenas com jornalistas.

Elementos Jurídicos no Jornalismo: uma Introdução

– Crimes sexuais: comer a estagiária pode dar cadeia?
– Direito trabalhista: vale a pena colocar seu empregador no pau pelas horas extras que não foram pagas?
– Como transformar sua condenação por calúnia em doação de singelas cestas básicas.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.

40 comentários:

Érico San Juan disse...

Que Arnaldo Jabor que nada... eu sou mais o Duda! Dá-lhe, Rangel!!

Leonardo Ferreira disse...

Duda, está foi show. E assim como as demais postagens tem mantidade um nível de qualidade muito gostoso de acompanhar rotineiramente, pois refletem cenas e casos que vivemos nas redações da vida.

Parabéns,

Abraço,

Léo

Mônica Pinheiro disse...

Duda , dou uma sugestão para o "Psicologia Aplicada"

Superando a fantasia da formatura: como lidar com o fim da era dos estágios e admitir o serviço público como alternativa de vida (e com convicção)

Mais uma vez, o post está uma delícia...impossível não se identificar com cada tópico...sucesso.

BitterSweet disse...

Ahhh não! Não dá pra ser jornalista e ter uma vida pessoal mesmo? não tem nenhum jeitinho? =/

The Ideas of a Vintage Doll disse...

E depois me criticam por eu querer largar jornalismo para fazer gastronomia...

Ewerton Martins Ribeiro disse...

Eu, que saí da faculdade recentemente, sei que lá tem muita matéria que poderia ser substituída (sem prejuízo, na verdade lucro) por uma dessas que você inventou.

Flávia Romanelli disse...

Adorei as matérias, pena que na minha faculdade a realidade era outra. Quando comecei a trabalhar eu sempre falava que ninguém tinha me avisado sobre os plantões, feriados e festas trabalhando!

Pabline Felix disse...

Esse post é um dos melhores pra mim!

Derla disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk mew não consigo parar de rir! haha

Nayara disse...

kkkk... Ok, meu querido. Quando é que irá enviar essa "ementa de jornalismo contemporâneo" para o MEC aprovar? Me interesso em fazer uma pós graduação com ênfase em "Psicologia Aplicada à Desgraça Cotidiana". #JornalismoFAIL

Brunella Velloso disse...

Poxa esse texto é tão estimulador pra nós estudantes... hehehe Muito bom!

Brunella Velloso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Duda Rangel disse...

Nayara, se a gente for esperar o MEC aprovar alguma coisa, é melhor esperar sentado. De preferência na mesa de um bar...rs
Brunella, como eu sempre digo: a vida de jornalista é complicada no começo; depois, fica mais complicada ainda.
Beijos.

Art by Lu disse...

Kkkkkkkkk, adorei!

INSÔNIA e PRAZO DE VALIDADE disse...

Hmmm...

INSÔNIA e PRAZO DE VALIDADE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isadora Marinho disse...

Incrível, como sempre!

Camila Sol disse...

Chorei de rir....nunca vi matérias tão realistas.
Concordo que a maioria deles seriam muito uteis.
Eu adoraria elas serem aprovadas pelo MEC. rs

Marcio Araujo disse...

Demorou para você começar a faturar uma grana colocando banners de anunciantes em seu blog. Experimenta ligar para uma empresa como NetShoes, Departamento de Marketing da whirlpool, Casas Bahia, etc.
Meus hoyalties pela idéia são de 2,5%, ok? Outra idéia é vc abrir um CNPJ e começar a fotografar carros e colocar na internet para vender com preço acima que o lojista está pedindo. Vc ganha o dinheiro da diferença quando o cliente vir e marcar com você. Pense, você deveria procurar talvez emprego em uma gráfica ou em uma editora. Dependendo da gráfica, vc pode ganhar algum dinheiro em comissões atendendo agências. Eu faço isso :)
Dar aula em faculdade também é uma alternativa. Vc foi enganado, então continue enganando os outros. É só falar com o coordenador de cursos da Faculdade. Abraços e sucesso!

Marcio Araujo disse...

Demorou para você começar a faturar uma grana colocando banners de anunciantes em seu blog. Experimenta ligar para uma empresa como NetShoes, Departamento de Marketing da whirlpool, Casas Bahia, etc.
Meus hoyalties pela idéia são de 2,5%, ok? Outra idéia é vc abrir um CNPJ e começar a fotografar carros e colocar na internet para vender com preço acima que o lojista está pedindo. Vc ganha o dinheiro da diferença quando o cliente vir e marcar com você. Pense, você deveria procurar talvez emprego em uma gráfica ou em uma editora. Dependendo da gráfica, vc pode ganhar algum dinheiro em comissões atendendo agências. Eu faço isso :)
Dar aula em faculdade também é uma alternativa. Vc foi enganado, então continue enganando os outros. É só falar com o coordenador de cursos da Faculdade. Abraços e sucesso!

Duda Rangel disse...

Valeu pelas mensagens de todos. Abraços.

kell Castro disse...

Muitooooo Bom! Como Todos os outros... Fã de carteirinha! =)

Moga disse...

Cara, tu é simplesmente o máximo! Adorei todos os teus textos... bju!

Duda Rangel disse...

Valeu, Moga. Beijos.

Casa de Mãe joana disse...

Inclua ai: matéria, com estratégias para aquelas desprovidas de atributos físicos, cujos chefes não se agradam.

Felipe Severo disse...

Genial, Duda! Quanta espiritualidade. Parabéns!

Anônimo disse...

rapaz, tô chegando atrasada para ler as dicas mas elas são atemporais! Chorei de rir como não fazia há muito tempo! Foi uma pequena alegria com a profissão depois de até, anos! minha irmã que é arquiteta sugeriu que o item dos jabás fosse indicado como sugestão de pauta para a revista Casa Claudia! ;) obrigada pelo relax!

Duda Rangel disse...

Olá, Anônima. Fiquei muito feliz em saber que o texto provocou esta reação em você. E obrigado pela dica de pauta para a Casa Cláudia. Quem sabe não descolo uns trocados com um frila? Beijos a você e a irmã arquiteta.

Lyd Ribeiro disse...

Muito bom! Impossível não se identificar com cada tópico #morririr

Duda Rangel disse...

Obrigado, Lyd.

Sig Souza disse...

Sou professor em escola de idiomas(ingles). Sabe que algumas coisas são bem semelahntes? Não di
go no trabalho em si,mas na intefencia em nossa vida social.Trabalhar a noite e acordear as 10:00 vira rotina e vc fica sendo meio morcego com o tempo rsrsrsrs.

Duda Rangel disse...

É verdade, Sig, vida de morcego é comum a muitas profissões. Abraço.

Carlota Joaquina disse...

Rs, ótimas suas sugestões, porém acho q a galera vai acabar abandonando o curso, kkkkk. Qd estava na faculdade eu já tinha 32 anos e era chefe de reportagem, morria de pena dos meus jovens colegas, de pensar no tanto q aquilo ali, a faculdade, não tinha a menor condição de ensinar, efetivamente, a profissão. É diferente mesmo, só quem vive isso sabe o q é e a faculdade nunca vai ter disciplinas q ensinem o dia a dia real de ser jornalista como estas q vc listou aq. Mas como toda profissão, é a paixão q nos diz, quem é verdadeiramente um bom jornalista.

Carlota Joaquina disse...

Rs, ótimas suas sugestões, porém acho q a galera vai acabar abandonando o curso, kkkkk. Qd estava na faculdade eu já tinha 32 anos e era chefe de reportagem, morria de pena dos meus jovens colegas, de pensar no tanto q aquilo ali, a faculdade, não tinha a menor condição de ensinar, efetivamente, a profissão. É diferente mesmo, só quem vive isso sabe o q é e a faculdade nunca vai ter disciplinas q ensinem o dia a dia real de ser jornalista como estas q vc listou aq. Mas como toda profissão, é a paixão q nos diz, quem é verdadeiramente um bom jornalista.

Duda Rangel disse...

Carlota, alguns podem até abandonar o curso, mas conhecer a realidade - mesmo que dura - ainda é melhor do que ignorá-la, não é?
Obrigado pela mensagem. Abraços.

madamada disse...

a pessoa trabalha 3 dias por semana para ganhar 30 mil por mês e fica reclamando. é possível?

Anônimo disse...

O jornalismo, como vocês mesmos disseram é a vontade maior de contar histórias. No meio do caminho alguns percalços; a grana pouca, os plantões de fim de semana, feriado, a ameaça esquizofrênica do fracasso e do desemprego...
Mas eis que no meio disso tudo quem decide por esta profissão também escolhe a incoerência. Do mundo, da sociedade, e de si mesmos! São acima de tudo bi-polares não diagnosticados(a maioria é, e muito bem medicada, diga-se de passagem). Bi-polares porque mergulham na contradição do mundo, mesmo que o mundo pelo critério de noticiabilidade nos reduza a pautas regionais, locais.
Essa dupla que decide através deste blog, humanizar a ruína e a chama que mantém a lida jornaleira viva em alguns, merece aplausos! Pela gentileza com que tratam a realidade dura, e pelo humor revertido em esperança o meu muito obrigada!
Da chará,
Duda Ramos

Duda Rangel disse...

Querida Duda, muito obrigado por tua mensagem. Adorei. Abraços.

Evelin Criss disse...

Seu texto e ótimo...
Porém, confirma a triste realidade de um jornalista. Sempre quis cursar jornalismo, entretanto todos me falam que é estudar pra ter pouco dinheiro e trabalhar muito. Mas não ligo pra isso, sou apaixonada pelo 'jornalismo".
Mas cada vez mais me espanto com tudo que falam da profissão. Todos os meus familiares são contra eu cursar, jornalismo, dizem que é pra mim cursar e direito, pois jornalismo em Brasília, não leva a lugar nenhum. rsrs

Duda Rangel disse...

Evelin, a profissão é dura, exige muito do profissional, mas traz ótimas experiências para quem está na área. Se você é apaixonada pelo jornalismo, não desista. Estude bastante, invista em você. Sucesso.