segunda-feira, 15 de março de 2010

A redação mais vigiada do Brasil


Já imaginou um Big Brother Brasil só com jornalistas? Conheça a seguir alguns candidatos ao grande prêmio do reality show: o kit jornalista feliz (um plano de saúde top do sindicato, uma carteirinha vitalícia da Fenaj, um fim de semana com acompanhante numa colônia de férias e meia dúzia de elogios).

A gostosa: a jovem jornalista tem tudo para ser a menina do tempo, mas quer mais: quer ter seu próprio programa de televisão. Pode ser um daqueles com dicas de beleza ou de esportes radicais. Antes de entrar “na redação mais vigiada do Brasil”, onde passará grande parte do tempo de minissaia cruzando e descruzando as pernas e exibindo os novos peitos siliconados, trabalhava como repórter num programa de subcelebridades. Sonha provar para o País, assim como sete mais sete são quinze, que, além de gostosa, também tem conteúdo.

O enrustido: o experiente repórter de Cultura, especializado em teatro, abandonou a carreira sólida para arriscar-se na “grande aventura da vida”, como ele define o programa. Seus amigos não acreditaram quando ouviram ele dizer isso na vinheta de apresentação. Logo ele, um homem que só falava de Brecht, Shakespeare e Tchecov, e odiava os reality shows da vida. Sua participação promete ser polêmica por causa de sua sexualidade. Será que ele sairá do armário, ou melhor, do confessionário?

O tosco: quando foi escolhido para participar do programa, recebeu uma dura advertência: nada de usar aqueles bonés com propaganda de cachaça ou material de construção como fazia nos campos de futebol como repórter esportivo de rádio. Está liberado, por outro lado, para falar putaria à vontade. Promete beber todas nas festas da redação, bolinar a gostosa e sacanear o enrustido. Acredita que pode sensibilizar o Brasil ao revelar o valor de seu salário. Diz que, por ser o mais miserável, é quem mais merece ganhar o kit jornalista feliz.

O gente boa: é um jovem desprovido de beleza, mas com um coração do tamanho dos peitos novos da gostosa. Seu jeitão nerd não deixa de ter certo encanto. Sonha fazer matérias sobre direitos humanos e focar sua carreira na área de sustentabilidade. Só toma sucos naturais (sem açucar) e é vítima de piadinhas por causa disso. Quer acabar com o mito de que todo jornalista é cachaceiro e putanheiro e mostrar um outro lado. O enrustido, com certeza, vai gostar desse lance do outro lado.

A marginalizada: a assessora de imprensa imagina que vai sofrer muito preconceito, simplesmente por ser a única assessora de imprensa do programa. Os demais participantes, todos jornalistas "convencionais", vão vir com aquele papo chato de que ela traiu a profissão, de que assessor não é jornalista e coisa e tal. Ganhar o jogo será uma missão mais árdua do que vender uma matéria sobre aquele decorador fracassado que era seu cliente.

A caipira: participar do reality show representa a conquista do mundo para a jovem do interior catarinense. É a primeira vez que deixa a sua cidadezinha, onde atuava como repórter no jornal do prefeito. Faz o tipo “sou tímida, mas topo ficar pelada na Playboy se rolar um convite”. Acredita que a mistura de caipirice e sensualidade pode conquistar o Brasil. Não descarta viver um grande amor no programa, desde que seja um sentimento verdadeiro, ou uma linda amizade, ou pelo menos uma matéria escrita a quatro mãos.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.

21 comentários:

Lita Cruz disse...

Ri demais agora.., principalmente com o tosco " Acredita que pode sensibilizar o Brasil ao revelar o valor de seu salário..." e a marginalizada= assessora de imprensa, muito bom..uhahuah. E vc Duda, poderia ser o Bial, mas sem os dircursos chatos né?..rsrs..bjss

Júlio Castellain disse...

...
Muito bom!!!
Abraços.
...

Isa. disse...

muito muito bom! hahah

Carol disse...

Recebi o texto por e-mail, mas precisava vir aqui comentar. Muito bom! haha

Consegui imaginar na minha cabeça com perfeição todos os estereótipos. Seria cômico um programa desses, sem dúvida! :D

Duda Rangel disse...

Lita, Júlio, Isa e Carol, obrigado pelas mensagens tão meigas. Lita, até aceitaria ser o Bial do programa, mas desde que não tivesse de usar papetes com meia. Abraços.

Mariana Serafini disse...

o Gente Boa que tem um coração tão grande quanto os peitos da Gostosa foi ótimo!

yana disse...

Sou estudante de Jornalismo, estou passando aqui pela primeira vez e, adorei o blog!!
Parabéns e sucesso!!

Bjs


(www.daianavlopes.blogspot.com)

Duda Rangel disse...

Obrigado, Yana. Beijos.

Bobby Fonseca disse...

Essa redação está muito parecida com a da TV aqui.

Está faltando a gostosa, mas de enrustidos, está cheia.

Muito bom o seu texto. Adorei!

denise disse...

mto bom mas faltou o tipo conan (aka magnum, macho, etc etc etc)
também é um tipo que faz sucesso em show de estereótipo (rs..)

http://wagnerebeethoven.apostos.com/2010/09/10/ananda-apple/

@AdriValadares disse...

SEN-SA-CIO-NAL!!
Consigo enxergar todos eles, já convivi com vários pelas redações que trabalhei!
Parabéns Duda!!
Só uma dúvida, num paredão hipotético, quem sairia primeiro?
rsrsrrsrsr

Duda Rangel disse...

Olá, Adri. Quem sairia primeiro? Decisão difícil. Prefiro não tomar partido. A única certeza é que jornalista vive no paredão, né não? Beijos.

Natassha Cotts disse...

Duda,
você a cada dia me surpreende com seus textos.
Parabéns! Ri demais!

Talita disse...

onde eu trabalho há uma pseudo-gostosa e de resto todos somos um bando de toscos que se alegram com jabá e coffe break... rsrs

O paredão é certeza, agora a audiência e a comoção pública que é difícil.

E Duda, mais uma vez adorei a postagem!!
Abraços!

Égon Ferreira disse...

Cara! GENIAL! Hahahahhaa!
Adoro seu blog cara! Estudantes de Jornalismo e Jornalistas do país todo compartilham seus tópicos constantemente hahaha!
Muito bom!

Duda Rangel disse...

Natassha, Talita e Égon, brigadão pelos comentários. Abraços ao trio.

Anônimo disse...

Morro de rir! Muito bom! Acho que o tosco pode conseguir sensibilizar o público pelo salário!!rs... Esse Big Brother eu assistiria! Bjokas

André Ítalo Rocha disse...

O cara que não bebe não pode ser o gente boa hahaha mas ficou muito bom, parabéns!

Duda Rangel disse...

Anônimo, todo mundo iria usar o salário para sensibilizar o público. rs
André, o que bebe é o gente finíssima. :)
Abraços

luladavid disse...

Ficou faltando um fotógrafo

Bruna Vieira disse...

Esse "mito de que todo jornalista é cachaceiro e putanheiro" nunca existiu aqui no Ceará. Jornalista aqui é antônimo de heterossexualismo, rsrsrs