segunda-feira, 17 de maio de 2010

Pais e filhos


O filho estava cinco minutos atrasado, mas pareciam cinco horas, tamanha era a ansiedade de seu pai. O que ele teria de tão importante para revelar?, pensava o velho.

O filho não deu pista alguma. Será que o Bruno, aquele seu amigo muito próximo, é muito mais do que um amigo? Será que ele engravidou a faxineira? Será que ele decidiu abandonar o nosso time de coração para torcer pelo rival? Será que ele montou um grupo de pagode? O pai pensou nas possibilidades mais terríveis, sofreu, chorou, assumiu seus erros, eximiu-se de seus erros. No fim, decidiu que apoiaria seu filho qualquer que fosse a revelação.

- O quê, filho? Eu não acredito! Melhor, eu não aceito!

- Pai, é o que eu quero. Só serei feliz assim.

- Mas, filho, por que estudar jornalismo? Já não basta a miséria de seu pai? Por que repetir o meu erro? Eu aceitaria tudo, tudo mesmo, até ser o sogro do Bruno, mas ter um filho jornalista não dá. Te criei com tanto carinho!


O que você, meu caro leitor ou leitora, faria caso seu filho (ou futuro filho) quisesse estudar jornalismo, como você? A nova enquete do blog está no ar! Não deixe de votar!

A pesquisa que acabou de ser encerrada – Qual a maior roubada para um jornalista na cobertura eleitoral? – teve uma disputa apertadíssima, com vitória da alternativa “Ter de falar bem do ‘candidato do jornal’ para manter o emprego”, com 43% dos votos. Em segundo lugar, com 37%, ficou a opção “Perder um domingo de folga para ir a um comício na PQP”.

9 comentários:

Ana Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lima disse...

Começo a pensar que é melhor nem ter filhos. Assim afasto de vez a possibilidade de eles quererem ser jornalistas.

Camila Di Assis disse...

Duda, muito bom o seu texto e com um tema que realmente preocupa: o que fazer se o filho quiser ser jornalista? rs
Seu blog é bastante interativo!! Gosto muito de passar por aqui!

Laís disse...

eu nem a possibilidade de não ter filhos eu tenho...entrei na facul grávida. eu era a caloura buchuda :). Agora se ele quiser ser jornalista, o apóio, já que ele ouviu o primeiro período da facul por tabela :)

Lucas disse...

Jornalisma ama odiar a sua profissão.

Talita Cruz disse...

Eu pensaria: "Mãe louca, filho mais louco ainda..."

Anônimo disse...

jornalista ama odiar sua profissão (2)

Hidaiana Rosa disse...

Eu apoiaria meu filho! Adoro a profissão! Gostei do texto e da enquete!

Duda Rangel disse...

Não tenho filhos (não que eu saiba, pelo menos), apenas meu querido boxer Nestor. E não é que o safado tem jeito para o jornalismo. Vejam este texto em http://migre.me/H4LB. Abraços.