sexta-feira, 11 de março de 2011

Repórter que é repórter


Repórter que é repórter é um curioso.

Observa, desconfia, questiona, pesquisa, investiga, apura, vasculha, sonda, estuda, fuça, persegue, bisbilhota, sabatina, faz lucubrações. Abelhudices.

Repórter que é repórter tem coragem de ir pra Líbia, Egito, Afeganistão. Repórter que é repórter tem boas fontes. Tem sorte.

Repórter que é repórter faz malabarismos pra sobreviver. É artista de circo, respeitável leitor. Doma entrevistados ferozes. Tira leads da cartola. Anda na corda bamba do emprego. Repórter que é repórter é o palhaço que ri de si mesmo.

Repórter que é repórter sabe que não muda o país. Repórter muda de país. Vira correspondente ou vai se reciclar em Londres. Repórter adora se reciclar em Londres. Repórter que é repórter sabe que não salva o mundo. Repórter salva, no máximo e quando não esquece, o texto que está escrevendo.

Repórter que é repórter tem o olhar apurado. É o menino que espia o banho da prima pelo buraco da fechadura.

Tem o ouvido apurado. É o vira-lata que levanta a orelha a qualquer zunzunzum.

Tem o olfato e o tato apurados. Mete o nariz onde não é chamado. As mãos, os braços, as pernas. Mete o corpo inteiro.

Tem o paladar apurado. Assessor, jamais ouse servir a um repórter coxão duro como se fosse filé mignon ao molho madeira numa coletiva de imprensa!

Repórter que é repórter tem um sexto sentido do caralho.


Já comprou o livro do Duda Rangel? Conheça a loja aqui, curta, compartilhe. Frete grátis para todo o Brasil.

Curta a página do blog no Facebook aqui.

29 comentários:

Saulo disse...

Mais um texto do caralho! parabéns, Duda

Rafaele Breves disse...

Muito bom!! Eu como "quase" jornalista (estou no último semestre) admiro sua escrita e sua capacidade de transpor a vivência dessa profissão/vocação.

Ana Paula Popolin disse...

Olá Duda,parabéns pelo Blog!
É impressionante a possibilidade de ver em seus textos fatos que já aconteceram comigo!

Josmari disse...

Reforço os comentários: o texto é foda, sem mais.

Alexandre Santos disse...

Clap, clap, clap! De pé.

Nina Lessa disse...

Formei em jornalismo ano passado, mas teimava achar que não era jornalista. Aí descobri seu blog e não tive dúvidas de que sou sim, paciência. :)

Parabéns pelo blog, adoro e viciei.

Paty Maia disse...

Falou e disse. Repórter que é repórter é curioso, procura e acha. Sexto sentido parece coisa de outro mundo. Funciona!!

Celamar Maione disse...

Uma poesia....

bj

Jananda. disse...

"texto do caralho"²

Diogo disse...

Quando se lê um texto desse dá um friozinho na barriga, uma vontade de ser repórter cada vez mais e agir conforme o texto, parabéns Duda, genial.

Nilza disse...

Irmãos, mais um texto excelente. Isso me lembrou uma história. Um foca foi cobrir um jogo do Juventus na Javari. Como não tinha Aceesp, comprou ingresso. A entrada era de uma partida já realizada. Teve sorte ou não. Saiu para fazer o Juventus e ganhou manchete de página.

João Pedro Nunes

LUCIA disse...

bacana

Arilton Batista disse...

Texto foda demais.
Parabéns!

Amanda Carvalho disse...

Texto ótimo Duda! E numa boa NUNCA sirvo comida ruim para meu amigos jornalistas! Brigo com o cliente, mas o almoço que é servido nas coletivas que eu faço é o melhor! =)

Camila Sol disse...

A M E I ! pena que tem gente demais achando que é reporter...

Carol disse...

Duda, espero que esse blog esteja fazendo tão bem a você quanto faz a nós, jornalistas. Acabei de me formar e, como deve imaginar, muitas dúvidas recaem sobre nós nesse momento. Seus textos são ótimos e divertidos, além de trazerem grandes reflexões. Me diga, existe alguma fórmula para fazer textos bons?textos atraentes?!Acho que isso é um dom. Considere-se vitorioso por tê-lo. Parabéns!

Daiana Lopes disse...

Olá!
Mais um texto incrível. Meus parabéns!



http://daianavlopes.blogspot.com

marcia erthal disse...

Acho que vc comeu o e de elucubrações, logo no início do texto. Por sinal, muito bom, mujito bem sacado. Pena que a profissão de repórter foi tão aviltada, tão transformada ao longo dos tempos!!!!!

Ricardo Mello disse...

Em 17 anos de profissão nunca perdi a paixão. Fui editor, apresentador, mas voltei para o meu lugar por pura opção.

Obrigado por alimentar meu orgulho pela profissão mais sofrida, mal paga e legal do planeta.

Anônimo disse...

Belo texto.
Mas boa parte dos repórteres vai comer o coxão duro e dizer que é filé mignon...
Antonio Carlos

Anônimo disse...

Até virar assessor...

Jéssica G3 disse...

como repórter digo: repórter que é repórter é tudo isso e mais, é criativo, assim como o dono deste blog rsrsrs

Parabéns, muito phoda

http://jessyalternativa.blogspot.com

Duda Rangel disse...

Repórter que é repórter adora escrever, contar histórias. Muito obrigado a todos pelas palavras.
Caro Nunes, essa história do foca na Javari me parece bastante familiar.
Marcia, as duas formas, com e sem "E", existem e são aceitas.
Carol, acho que não há fórmula mágica. Um bom texto exige muita leitura, prática, objetividade, fuga dos jargões etc.
Abraços a todos.

Luciana Martinez disse...

Amando seu blog.

Duda Rangel disse...

Valeu, Luciana.

Juliane disse...

Você é excelente! Consigo me ver em todos os seus textos. Parabéns!

Duda Rangel disse...

Obrigado, Juliane.

Windson Lima disse...

Cara esse texto é a maior verdade!!! sou desse jeito mesmo!!!

Duda Rangel disse...

Windson, legal pela identificação. Abraços.