quarta-feira, 4 de maio de 2011

Censo jornalístico 2010


O que mudou na vida dos jornalistas na última década? O blog Desilusões perdidas divulga alguns resultados da pesquisa.

O poder de consumo do jornalista está cada vez menor. Em 2000, seu salário mensal demorava 20 dias para acabar. Em 2010, 14 dias. A expectativa é que, em 2050, o salário do jornalista dure apenas 2 horas e 37 minutos.

Nos últimos 10 anos, a migração de jornalistas com carteira assinada para o sistema PJ só não foi maior do que a migração de jornalistas com carteira assinada para o olho da rua.

A imprensa está ainda mais vaidosa. O ego dos jornalistas teve expansão de 30% nos últimos 10 anos. Um dado interessante é que, pela primeira vez, os repórteres de TV perderam a liderança do ranking do estrelismo para os jornalistas blogueiros.

O contato dos jornalistas com a sacanagem começa cada vez mais precocemente. 74% de repórteres com menos de 20 anos confessaram que fazem três ou mais matérias num único dia, mantendo relação com diferentes fontes.

Os jornalistas estão trabalhando mais. Na última década, 25.000 homens tiveram o diagnóstico de ricardite crônica ou mal de Euclides da Cunha, doença que afeta jornalistas que viajam muito, fazem plantões ou pescoções até a alta madrugada.

Repórteres de celebridades e de esportes lideram a lista dos jornalistas que mais publicam informações falsas. A criação do Twitter teve contribuição significativa para o aumento de 170% das barrigas jornalísticas no período.

Os fotógrafos estão mais caretas. 27% admitiram que trocaram os bares sem frescura pelos restaurantes japoneses com rodízio de sushi e sashimi. 22% trocaram o cigarrinho de maconha pelo sachê industrializado de chá verde com limão.

74% dos jornalistas saem da faculdade e vão direto para as assessorias, sem nunca pisar numa redação. São os mesmos 74% que ligam para vender release na hora do fechamento.

Com o fim da obrigatoriedade do diploma, o Brasil fechou 2010 com a marca de 150 milhões de jornalistas.

17 comentários:

Vanice da Mata disse...

Olhe olhe.. não seja ciumento! Estudo jornalismo e sei o valor que isso tem, mas você como EXCELENTE profissional e pessoa, sabe que talento não é guiado por diploma. Jogue duro, meu (quase) colega! Sucesso!!!

Anônimo disse...

Ótima sacada! Me enquadro na porcentagem de jornalistas formados que vão direto para as assessoria sem nunca ter pisado antes em uma redação de verdade!
beijos.

Vanice da Mata disse...

E desculpe os escorregões nas vírgulas! Tô injuriada com o nosso Jornal A Tarde/BA! Me pergunte o porquê depois...: vanicedamata@gmail.com

Juliana Gelatti disse...

Sim! Esses assessores ligam às 17h perguntando o horário do fechamento, tu responde 18h30 (jornal do interior) e eles comemoram "ainda dá tempo!"

JD - João Damasio disse...

A ricardite crônica foi massa! Kkkk.

Douglas Furiatti disse...

Muito interessante seus textos sobre nossa profissão. Também tenho um blog, com dicas de português, textos opinativos e enquete. Caso queira conhecer: www.papoentrenos.blogspot.com.
Abraço, Douglas Furiatti

Rômulo Martins disse...

não conheço humor mais ácido e divertido ao mesmo tempo que o seu, Duda hahaha

Clau Neves disse...

Olha eu estava desiludida... Agora estou sem esperanças nenhuma...
PS me identifiquei muito com o perfil deste blog. Desempregada, abandonada pelo marido ...
...http://devaneioeilusoes.blogspot.com/

Raysa Soares disse...

Eu, ainda como estudante de jornalismo, tenho medo de não sobrarem nem vagas em assessoria quando eu me formar!!! ai ai

Gabriele Wagner disse...

Muito bom esse texto, apesar de que quando me formar espero que estas estatisticas ja tenham mudado!! rsrs

Quando puder dê uma olhada em um texto meu http://impressoes-domundo.blogspot.com/2011/03/sobre-coisas-que-se-aprende-na.html

"um dia você aprende que.." e o lado B do jornalismo combinariam muito bem!! Abraços

Gabriele Wagner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leandro Silva disse...

Muito, muito bom! Você tem umas sacadas sensacionais!

Rafael Lourenço disse...

O jornalismo mudou. Para as empresas, para melhor, para nós jornalistas....
que tristeza. O idealismo da profissão já não existe há muito tempo e liberdade de expressão apenas nos blogs (ainda bem que existem).
Além de poucas vagas, grande parte da produção jornalística atual merece duras criticas pelo alto grau de parcialidade e baixo grau de qualidade..
Para quem se interessa por questões da comunicação (inclusive eventos), política e futebol,. compartilho aqui meu blog pessoal: http://rafalourenco.blogspot.com/

Helen Fernanda disse...

O meu já dura menos que 2 horas e 37 minutos porque levo bem menos tempo que isso para pagar todas as minhas contas no caixa eletrônico.

Gustavo disse...

Vejam só como são as coisas, "jornalista" que nunca pisou em redação se forma e sai empregado.

Jornalista que pisou em redação antes de se formar, se forma e sai desempregado...

Anônimo disse...

Muito bom!!!!! Parabéns! O último parágrafo é a mais pura verdade!

Amanda Carvalho disse...

"74% dos jornalistas saem da faculdade e vão direto para as assessorias, sem nunca pisar numa redação. São os mesmos 74% que ligam para vender release na hora do fechamento" hahaha amei! Mas não ligo mais no fechamanto.. meu namorado é editor e já me relatou quão indignado fica quando é interrompido durante o fechamento =)