quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Jornalista, um caso clínico


Por não ter uma vida saudável, o jornalista fica mais vulnerável a doenças. Algumas são típicas da profissão. Patologias que derrubam, principalmente, os colegas de hard news, incapazes de criar anticorpos para combater a rotina maluca de trabalho.

Ricardite crônica ou Mal de Euclides da Cunha

Esta enfermidade afeta jornalistas que viajam muito, fazem plantões de fim de semana ou pescoção até a alta madrugada. As vítimas costumam reclamar de dores fortes na cabeça. Em estágios avançados da doença, alguns relatam casos de alucinações, sobretudo quando chegam em casa mais cedo. Um jornalista afirmou ter notado sapatos desconhecidos em seu quarto. Outro garantiu ter visto o vizinho em sua cama, ao lado de sua mulher. A desinformação aumenta os casos da doença, afinal a vítima é sempre a última a saber o que acontece em sua casa.

Estrelíase aguda ou Síndrome de Bozó

Este mal, de raiz egocêntrica, ataca jornalistas que trabalham em TV, em especial em grandes emissoras. São pessoas que passaram do anonimato à fama de forma rápida e ainda não conseguiram controlar as altas taxas de estrelismo no sangue. O nariz de quem é acometido pela patologia tende a ficar um pouco arrebitado. Mas o sintoma mais claro que o jornalista está doente é quando ele sai bradando a todos os cantos que é o fodão, que tem acesso a qualquer entrevistado, um puta salário e o escambau. Em casos mais graves, o paciente vive o dia inteiro com o crachá da emissora pendurado no pescoço.

Distúrbio da Sociabilidade Reprimida

Espécie de fobia social, atinge jornalistas que, por trabalharem muito, só conseguem se relacionar com outros jornalistas. Eles não têm tempo livre para interagir com seres humanos de outras profissões. Vivem em guetos. São neuróticos. Andam com o celular ligado 24 horas por dia. Só pensam em trabalho. Nos raros momentos de folga, entram em pânico quando se encontram fora de seu hábitat natural de lazer, o bar próximo à redação onde trabalham. Há relatos de um jornalista que, na cama de um motel com uma dentista gostosa pra cacete, teve uma crise de choro na hora H, pois precisava acabar uma matéria para o dia seguinte.

14 comentários:

Flávia Romanelli disse...

Muito bom! Convivi muitos com esses bozós da vida, eh ego grande!

Anton Roos disse...

"Há relatos de um jornalista que, na cama de um motel com uma dentista gostosa pra cacete, teve uma crise de choro na hora H, pois precisava acabar uma matéria para o dia seguinte"

Duda, tu és o cara.

O Desilusões ainda vai virar livro, nem que seja em e-book.

Fer Suguiama disse...

"O Desilusões ainda vai virar livro, nem que seja em e-book." Boa, Anton Roos.

Mas o livro seria enquadrado na categoria de comédia, drama, suspense ou ficção?

Nonato Albuquerque disse...

Duda,
aproveito para lincar esse post do teu blog que acho interessante.

Erickblog disse...

"Estrelíase aguda ou Síndrome de Bozó"
Agora fiquei com inveja!A tempos venho tentando elaborar elaborar esse conceito e você teve a sagacidade de faze-lo primeiro. Assim não vale!
Depois de "Jornalismo Bozo" esse foi o melhor.

Duda Rangel disse...

Depois que fui abatido pelo Mal de Euclides da Cunha, decidi cuidar um pouco da saúde: me separei de minha mulher. Essas doenças acabam com a gente! Obrigado a todos pelas palavras tão carinhosas. Nonato, grato pelo link em teu blog. Fer, o livro poderia ser enquadrado em várias categorias mesmo. Vou precisar da ajuda dos universitários para decidir. Abraços.

Karolina Amêndola disse...

E quais são as precauções que preciso tomar para não ter nenhum desses casos? trocar de curso?

;**

jajá receberá email.
;********

Mariana disse...

Desilusões ainda vira livro, nem que seja e-book!
hsuhsushsushsus

MUITO BOM!

José Luís disse...

Vc é muito corajoso e possui um humor refinado e sincero, raro de encontrar hoje em dia. Se continuar escrevendo essas maravilhas que me fazer rir todo dia, vou propor um fã clube ahahahaha! Prossiga!

Duda Rangel disse...

Mariana, vai ter livro, sim. Um dia, aguarde.
José Luís, obrigado pelo carinho, meu caro.
Beijos e abraços do Duda

Shasça disse...

Como entre blogueiro e comentaristas parece haver um certo amor por jornalistas e assemelhados, convido-os a visitar meu www.shasca.blogspot.com onde postei um papinho leve a respeito de imprensa e opinião.
E, pelo jeito, estas "desilusões" tendem a se perder mais ainda.
[ ]'s
{8¬)

Nina Lessa disse...

Tu é um gênio, Duda!!

Beijos!

Tiago Gebrim disse...

Duda, sempre tornando as tardes de trabalho mais divertidas. Cara, adoro teus textos. Tu estás de parabéns, como sempre!

Grande abraço

Duda Rangel disse...

Brigadão! Abraços.